Início Arquivo

Lectra consolida crescimento

Durante 2004 a Lectra adquiriu três empresas estratégicas: a Investronica Sistemas sedeada em Espanha e a terceira maior do sector a nível mundial; a Lacent sedeada no Canadá e especializada em sistemas de corte a lazer textil para a indústria automóvel e indústrias têxteis; e por fim, a Humantec sedeada na Alemanha e especializada em sistemas de corte de peles para a indústria automóvel e têxteis-lar.

Estas três aquisições marcaram uma significante mudança de dimensão da Lectra consolidando a posição de maior empresa a nível mundial no software para a indústria têxtil e têxteis-lar assim como no sector automóvel. As sinergias resultantes das aquisições deverão começar a produzir efeitos após 2005.

O ano de 2004 ficou também marcado pelo aumentou do investimento em investigação e desenvolvimento tendo despendido 14,9 milhões de euros equivalendo a 7,1% do Volume de Negócios total e correspondendo a um aumento de 6% face ao ano transacto.

O volume de negócios da empresa liderada por André Harari ascendeu a 208,5 milhões de euros correspondendo a um crescimento de 13% face a 2003. No entanto, a debilidade do dólar americano, a crescente incerteza que envolveu o processo de abolição das quotas de importação de têxteis em 1 de Janeiro de 2005 e os processo de reorganização interna que a Lectra registou em alguns países pesaram nos últimos meses do ano tendo influenciado negativamente os resultados. O resultado líquido fixou-se nos 6,1 milhões de euros, menos 18% que em 2003.

De acordo com o Relatório de Contas, o software aplicado ao sector da moda, vestuário e retalho representou 59% das vendas num total de 70,8 milhões de euros, enquanto as vendas de equipamento vocacionado para a indústria automóvel, aeroespacial e marinha equivaleram a 27% do volume de negócios.

A Lectra é número um na China com 35 por cento do mercado, 1300 clientes e 125 empregados, mas pretende fortalecer a sua liderança neste país e responder a uma potencial da procura de equipamento neste território, onde se prevê que as vendas de novos equipamentos em 2004 excedam os valores para França.

Relativamente às perspectivas para o futuro, Daniel Harari, director-geral da Lectra afirmou em entrevista ao JT, que os objectivos do grupo passavam pela duplicação dos lucros nos próximos 5 anos atingindo um crescimento anual de 15%.

No que respeita ao futuro sem quotas de importação, para André Harari, trata-se de uma importante oportunidade uma vez que a Lectra irá a apoiar os clientes asiáticos, americanos e europeus a tirarem o máximo proveito do mercado livre.

 

A Lectra acaba também de inaugurar oficialmente uma nova sede na Turquia, após ter participado activamente no salão do Tuyap, o maior salão turco para equipamentos e softwares dedicado ao mercado têxtil e do vestuário. Com os estes novos investimentos, a empresa francesa confirma junto dos industriais turcos uma clara vontade de acompanhar os seus clientes em novos desafios.

Instalada em Istambul desde 1988, a Lectra dispõe ainda de escritórios em Ankara, Izmair e Bursa. Na Turquia, a empresa realiza 75% do seu volume de negócios no mercado têxtil e do vestuário, 10% no mobiliário, 10% no automóvel e 5% no calçado e marroquinaria, contando com um total superior a 600 clientes.

«Estes investimentos representam a nossa forma de afirmar o quanto acreditamos no potencial da Turquia», declara Daniel Harari, director-geral da Lectra. «Este país valoriza não só o seu know-how de sub-contratado mas também a qualidade da sua produção. Há aqui, igualmente, um importante potencial de desenvolvimento das marcas com um mercado local em forte crescimento».

Segundo a OMC, a Turquia ocupa, a nível mundial, a quarta posição como produtor de vestuário e a décima em matérias-primas para a ITV. A U.E. constitui o principal mercado deste país, com 63% do total das exportações.