Início Destaques

Lectra cria Laboratório de Inovação

A multinacional de origem francesa abriu o seu Laboratório de Inovação em Bordéus para captar tendências emergentes e melhorar a oferta de soluções tecnológicas. Moda, automóvel e mobiliário são as indústrias que deverão beneficiar das novidades que irão ser trabalhadas neste novo projeto da Lectra.

As equipas no Laboratório de Inovação vão trabalhar em colaboração com outras entidades, nomeadamente start-ups, centros de investigação, clientes e outros funcionários da Lectra. «Toda a gente pode ser convidada a criar um modelo visual durante um sprint de design ou a participar num workshop de geração de ideias», indica a Lectra em comunicado, acrescentando que «as primeiras inovações resultantes destas colaborações irão servir a indústria da moda».

Entre as linhas orientadoras do trabalho no Laboratório de Inovação está o repensar a cadeia de valor da indústria de moda – marcas, produtores e distribuidores – em relação com o consumidor final. «Para as marcas, aspetos essenciais da criação ou do desenvolvimento de produto são reinventadas através de soluções com base em tecnologias inovadoras. E para os produtores, foi desenvolvida uma ferramenta de realidade aumentada para apoiar a manutenção do sistema de corte», adianta a Lectra.

O trabalho do Laboratório de Inovação em diferentes tipos de tecidos e medidas corporais já acelerou o projeto Digtex – um projeto focado na digitalização do desenvolvimento têxtil lançado pela Lectra, pelo Centre Européen des Textiles Innovants (CETI) e pela École Nationale Supérieure des Arts et Industries Textiles (Ensait).  «Esta pesquisa, inspirada pelos desafios que os clientes da Lectra enfrentam, pretende dar-lhes soluções práticas e inovadoras», destaca a multinacional, adiantando que os resultados vão permitir que os clientes possam, por exemplo, envolver o consumidor final na criação de vestuário customizado ou reforçar a rastreabilidade do vestuário.

«Inovação, particularmente inovação disruptiva, implica uma verdadeira transformação cultural dentro da empresa. Não se pode simplesmente fazê-la existir. As equipas do Laboratório de Inovação perceberam bem isso: estão a fazer avanços tangíveis para reforçar o compromisso da Lectra e dos nossos funcionários em seguir este caminho e levar os nossos clientes para o sucesso», acredita Véronique Zoccoletto, diretora de transformação da Lectra.

Customização é prioridade

Este Laboratório da Inovação reforça a aposta da multinacional em aproximar os produtores dos consumidores finais e acelerar o ciclo produtivo. Recentemente a empresa lançou a oferta Fashion on Demand que permite às empresas de moda personalizar as peças à mesma velocidade de produção do pronto-a-vestir.

«A personalização, ou melhor dizendo, a produção por encomenda, vai ser um fenómeno transversal à indústria. É, por isso, dever da Lectra, enquanto pioneira da indústria 4.0, pensar antes do tempo e liderar este movimento», afirmou, na altura, Daniel Harari, presidente do conselho de administração e CEO da Lectra.

Fundada em 1973, a Lectra conta com 32 subsidiárias em todo o mundo, incluindo em Portugal, e clientes em mais de 100 países. Em 2018, a empresa, que está listada na Euronext, registou um volume de negócios de 333 milhões de dólares (cerca de 293,2 milhões de euros).