Início Destaques

Lectra soma e segue no 1.º trimestre

Os resultados dos primeiros três meses do ano revelam um forte aumento no volume de negócios e nos lucros da especialista em tecnologia face ao período homólogo de 2021 e, apesar dos desafios, que incluem incerteza no mercado, a guerra na Ucrânia e a pandemia, a Lectra reviu em alta as metas de crescimento.

[©Lectra]

No primeiro trimestre de 2022, a Lectra registou um volume de negócios de 122 milhões de euros, o que representa uma subida de 83% face ao mesmo período de 2021. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, desvalorizações e amortizações) atingiu os 21,6 milhões de euros, equivalente a um crescimento de 90%. Já o lucro operacional somou 14,4 milhões de euros, significando um aumento de 71% em comparação com os 8,5 milhões de euros do primeiro trimestre de 2021. Este valor, refere a Lectra numa nota à comunicação social, inclui o encargo de 2,7 milhões de euros para a amortização dos ativos intangíveis resultantes das aquisições da Gerber, da Neteven e da Gemini. O lucro líquido totalizou 9,3 milhões de euros, ou seja, mais 55% do que em igual período do ano passado.

Valores conseguidos, ressalva a Lectra, num ambiente de negócios com várias adversidades. «A partir de 24 de fevereiro, o primeiro trimestre de 2022 foi marcado pela guerra na Ucrânia. Assim que a guerra começou, a empresa decidiu parar as suas operações na Rússia, suspendendo a atividade da sua subsidiária Lectra Russia (que tem cinco funcionários) e terminando todas as entregas de produtos ou serviços», indica. No entanto, destaca, «a exposição direta do grupo à Ucrânia e à Rússia é baixa. O contributo destes dois países em 2021 foi inferior a 1% do volume de negócios», acrescenta.

Contudo, o ambiente de incerteza causado pela guerra levou a que «alguns dos clientes do grupo tenham adiado decisões de investimento, a partir do final de fevereiro, sobretudo na Europa. Esta guerra também acelerou o aumento dos preços, falta de combustíveis e escassez de algumas matérias-primas. O impacto destes fatores inflacionários nas declarações financeiras do grupo deve manter-se limitado,

[©Gerber Technology]
devido à baixa exposição aos custos energéticos e ao preço das matérias-primas mais afetadas», refere a Lectra.

Já a pandemia, nomeadamente os confinamentos em cidades chinesas, afetou a atividade da empresa de origem francesa, não só ao nível das encomendas de clientes da China, mas também dos envios. «Estas medidas [de confinamento por parte do governo chinês] impediram o envio de encomendas no valor de 3,5 milhões de euros de equipamentos CAD/CAM, que tiveram um impacto negativo no mesmo valor no volume de negócios do primeiro trimestre», aponta.

Expectativas positivas

Ainda assim, a Lectra reviu em alta as suas metas para 2022. «A 8 de fevereiro de 2021, a Lectra comunicou os seus objetivos financeiros para 2022: recuperar o volume de negócios agregado da Lectra e da Gerber em 2019 (482 milhões de euros) e atingir uma margem Ebitda corrente entre 17% e 20%.

Ross McInnes [©IFRS]
A Lectra fez de seguida as aquisições da Neteven e da Gemini, a retoma da atividade em 2021 foi superior ao antecipado pelo grupo e o dólar valorizou face ao euro», enumera a Lectra no documento de apresentação dos resultados à assembleia-geral, que teve lugar no passado dia 29 de abril. Como tal, em 2022, a empresa, que no ano passado terá tido um volume de negócios (incluindo as aquisições) de 468 milhões de euros, espera aumentar em 31% a 43% esse valor, para um volume de negócios entre 508 e 556 milhões de euros.

A assembleia-geral serviu ainda para a nomeação de

Hélène Viot Poirier [©Vivarte]
dois novos administradores para o conselho de administração da Lectra: o franco-australiano Ross McInnes e a francesa Hélène Viot Poirier.

«Estamos muito contentes por dar as boas-vindas a Ross McInnes e Hélène Viot Poirier ao conselho de administração da Lectra. Com a nomeação de Ross McInnes, poderemos beneficiar da sua grande experiência como administrador de empresas cotadas em bolsa e do seu conhecimento dos desafios da Lectra, assim como do seu know-how em estratégia, gestão, finanças e governança. Hélène Viot Poirier tem um conhecimento profundo do mundo digital e do mercado da moda. A sua nomeação vai permitir ao Conselho de Administração beneficiar do seu know-how em estratégia de aquisição, gestão e desenvolvimento de produtos ambientalmente responsáveis», resumiu Daniel Harari, presidente do conselho de administração e CEO da Lectra.