Início Destaques

Lectra torna indústria mais flexível

Chama-se Quick Nest e é uma das mais recentes soluções da Lectra para facilitar a vida às produtoras de vestuário. A aplicação, que está a ser testada por três empresas portuguesas, incluindo a Balutêxtil, permite executar vários planos de corte ao mesmo tempo e está disponível para um período experimental gratuito de três meses.

Rodrigo Siza Vieira

A solução foi apresentada no passado dia 12 de dezembro, juntamente com a “irmã” Quick Estimate, na Casa da Música no Porto. A Quick Nest é uma aplicação para o processamento e a execução automáticos de planos de corte, que permite aumentar a eficiência e a agilidade das empresas de produção de moda.

«Hoje, as encomendas são cada vez mais pequenas. Isso quer dizer que se tem de fazer mais planos. E quando se tem mais coisas para fazer, tem de se fazer em menos tempo, para sermos eficientes», explicou Roberto de Almeida, business director de soluções CAD da Lectra.

Roberto de Almeida

Instalado num computador, o software Diamino tem o poder de cálculo permitido pelo equipamento onde está instalado, tendo de processar cada plano individualmente. «Isso não acontece na nuvem. Se quiser enviar 1.000 encaixes, pode fazê-lo. O valor da nuvem é que tem sempre a eficiência no máximo», sublinhou Roberto de Almeida, destacando ainda que «há sempre atualizações» ao software. Aliás, indicou, «estamos agora a trabalhar em novas ferramentas na cloud que não estão no Diamino».

Testado e aprovado

A produtora de vestuário Balutêxtil é uma das empresas que está atualmente a testar esta solução. «É ótima. Tem maior eficiência que nós, manualmente, é muito rápida e dá-nos muita flexibilidade», afirmou, ao Portugal Têxtil, Maria de Lourdes Barros, fundadora da empresa.

Especialista em pequenas quantidades, a Balutêxtil conseguiu uma adaptação «muito fácil» a esta aplicação. «Foi dos programas mais rápidos de implementar. Toda a gente adorou», revelou Maria de Lourdes Barros, que dá exemplos de como a Quick Nest já trouxe mais-valias.

Maria de Lourdes Barros

«Temos um cliente que comprou 60 modelos em três malhas. E nós temos que agrupar as peças para não nos faltar malha nem haver muito excedente. Antigamente isso demorava-nos muito tempo, precisávamos de muitas horas extraordinárias para fazer o trabalho que necessitávamos num prazo curto. Com a aplicação na nuvem conseguimos fazer isso rapidamente. É a primeira estação que estamos a usar o Quick Nest e temos muito bons resultados», assegurou a empresária, que já garantiu que, depois do período experimental, vai ficar cliente «decididamente».

A Lectra está, atualmente, a oferecer um período experimental de três meses para que os seus clientes possam «ver o potencial da aplicação», apontou Roberto de Almeida. «Vejam se têm uma maior eficiência, se poupam tecido e depois decidam se faz sentido para a vossa empresa», desafiou.

Estimativas mais fáceis

Além da Quick Nest, a Lectra apresentou também a aplicação Quick Estimate, que faz estimativas aproximadas do consumo de tecido ou malha para permitir realizar cálculos de custos ainda numa fase inicial do desenvolvimento. Com esta app, os modelistas podem calcular instantaneamente as necessidades de matéria-prima e, dessa forma, acelerar a tomada de decisões. Empresas como a Balenciaga e a Calzedonia já estão a utilizar esta ferramenta. «Desde o início, o modelista tem a capacidade de dar uma estimativa suficientemente precisa para tomar decisões», justificou o business director de soluções CAD da Lectra.

Casa da Música

Estas aplicações «podem conviver com as ferramentas que hoje existem», sendo «serviços na cloud que trarão alguns benefícios que são muito dependentes de cada modelo de negócio, de organização e de processo de cada um», garantiu Rodrigo Siza Vieira, diretor-geral da Lectra para Portugal e Espanha, para quem estas aplicações são «um passo adicional na caminhada que iniciámos há dois anos no sentido de termos uma estratégia adaptada aos desafios da indústria 4.0 e da transformação digital», concluiu.