Início Notícias Têxtil

Lenzing bate recorde

A Lenzing registou os melhores resultados trimestrais da sua história nos primeiros três meses do ano. Com novos investimentos na expansão da produção, a produtora austríaca de fibras celulósicas antecipa um ano fiscal consideravelmente melhor do que 2016.

A Lenzing começou o ano com o “pé direito”. Nos primeiros três meses de 2017, a produtora de fibras celulósicas registou um volume de negócios de 586,2 milhões de euros, um aumento de 14,3% em comparação com igual período do ano passado. Os lucros subiram 67,9%, para 75 milhões de euros, em comparação com 44,2 milhões de euros no primeiro trimestre de 2016.

De acordo com o comunicado da Lenzing, o aumento pode ser atribuído «a preços de venda mais altos relacionados com o Ano Novo Chinês, assim como uma melhoria na oferta, redução de inventários e taxas de câmbio mais favoráveis».

Stefan Doboczky, CEO do Lenzing Group, afirma, em comunicado, que «o primeiro trimestre de 2017 foi o melhor na história da nossa empresa. Um fator essencial é a implementação disciplinada da nossa estratégia corporativa sCore TEN. A abertura de escritórios comerciais na Turquia e na Coreia permite-nos servir os clientes de forma mais eficiente. Estamos a progredir bem com a expansão nas nossas capacidades de produção para fibras especiais. Isto irá apoiar os nossos consumidores nos seus próprios esforços de expansão ao fornecer produtos feitos com as nossas fibras botânicas».

Previsões animadoras

Segundo a Lenzing, o ambiente macroeconómico parece estar, de alguma forma, mais favorável do que no primeiro trimestre do ano passado, mas continua a ser afetado por fatores «políticos». Já o desenvolvimento do mercado de fibras deve ser ligeiramente mais positivo, mas ainda assim volátil.

«O segmento das fibras celulósicas à base de madeira, que é relevante para a Lenzing, deve voltar a ultrapassar o ritmo de crescimento do mercado de fibras. A procura destas fibras celulósicas à base de madeira foi muito boa no início de 2017, com a tendência a longo prazo a apontar para um novo crescimento na viscose e, acima de tudo, em fibras especiais de celulose à base de madeira», aponta a empresa.

Em termos de oferta, acrescenta, o mercado não deve registar a entrada de novas capacidades de produção de relevo em 2017.

Em antevisão, o CEO da Lenzing revela que «assumindo que as condições do mercado de fibras continuam nos níveis atuais, esperamos uma melhoria significativa do lucro este ano em comparação com 2016». Isto depois de, no ano passado, a empresa austríaca ter quase duplicado o lucro face ao ano anterior (ver Lenzing quase duplica lucro).

Expansão em curso

Em agosto do ano passado, a Lenzing anunciou que iria investir mais de 100 milhões de euros no aumento da sua capacidade de produção de fibras especiais, devendo somar mais 25 mil toneladas em meados de 2018.

Em março, a empresa iniciou os trabalhos na unidade de produção em Heiligenkreuz, na Áustria, para expandir a capacidade de produção da fibra de liocel Tencel. A construção da nova unidade de produção no Alabama, nos EUA, também já começou e deverá ficar terminada no primeiro trimestre de 2019.

A especialista em fibras de origem celulósica avança ainda que está atualmente a «analisar várias potenciais localizações na Ásia para mais uma unidade de produção de liocel».