Início Notícias Têxtil

Lenzing no rastro da EcoVero

Filasa, Inovafil e Riopele são as empresas portuguesas que já responderam à convocatória de transparência e rastreabilidade da produtora austríaca, oferecendo já a nova fibra Lenzing EcoVero.

As preocupações ambientais têm crescido ao longo da última década, especialmente na indústria têxtil e vestuário.

Os consumidores exigem comportamentos amigos do ambiente por parte dos retalhistas e marcas, bem como conhecer as suas cadeias de aprovisionamento e poder acompanhar a rastreabilidade dos produtos que compram. Para atender a essas exigências crescentes, a indústria tem procurado soluções mais sustentáveis e transparentes para o sourcing. Com a apresentação das fibras EcoVero, a Lenzing procurou responder a essa procura com fibras de viscose ecológicas e rastreáveis.

Um sistema produtivo especial permite que a produtora austríaca identifique as fibras EcoVero no produto final, muito depois das etapas de processamento têxtil terem sido concluídas. Esta possibilidade de verificar facilmente as fibras originais significa que os retalhistas e as marcas podem asseverar que incorporam fibras de viscose ecológicas da Lenzing e não qualquer viscose genérica que pode não estar em linha com os seus objetivos de sustentabilidade.

Com esta tecnologia de identificação especial para as fibras EcoVero, a produtora austríaca oferece uma solução única para que a indústria da moda e respetiva cadeia de aprovisionamento respondam às reivindicações dos consumidores sobre a origens dos produtos, que podem ser rastreados até à fibra.

O que torna as fibras tão ecológicas?

A Lenzing impõe padrões ambientais rigorosos durante a produção de viscose e investiu milhões de euros ao longo dos anos para alcançar processos de produção ecológicos.

Os locais de produção de viscose da Lenzing, onde as fibras Lenzing EcoVero são fabricadas, cumprem as rigorosas diretrizes do Ecolabel da União Europeia, uma norma de produção ambiental que é uma referência.

A Lenzing é também muito transparente em relação às práticas de sourcing de matérias-primas. As fibras Lenzing EcoVero são obtidas da madeira, que provém de plantações florestais sustentáveis certificadas de forma independente por associações líderes do sector.

Retalhistas e marcas unem-se à Lenzing

Algumas das principais marcas e retalhistas da indústria têxtil e vestuário estão já a usar fibras EcoVero nas suas coleções para melhorar a transparência e a rastreabilidade, dois eixos críticos de uma estratégia de sustentabilidade de acordo com a procura atual do mercado.

Para a Gina Tricot, cadeia de retalho escandinava, as fibras EcoVero são a solução para fibras de viscose. «Com as fibras de viscose EcoVero da Lenzing podemos oferecer aos nossos clientes uma solução ecológica para o segmento da viscose», explica a diretora Anna Appelqvist. «Além disso, a transparência da cadeia de aprovisionamento está a ser, para nós, cada vez mais importante, pois os clientes querem saber o tipo de material usado nas suas roupas. Com a nova tecnologia de identificação da Lenzing, que é usada nas fibras EcoVero, oferecemos uma transparência total da cadeia de aprovisionamento. Os nossos consumidores podem ter certeza de que estão a comprar vestuário de viscose ecológica», acrescenta.

Outra retalhista escandinava, a sueca Lindex, considera incluir as fibras EcoVero na sua coleção. «Apoiamos a Lenzing nos seus esforços de transição para uma produção de viscose mais sustentável. As fibras EcoVero revelam preocupações com a origem da matéria-prima, além de terem um impacto ambiental reduzido no processo de produção. Esperamos que esta iniciativa conduza ao desenvolvimento da produção de viscose mais sustentável na indústria», revela a diretora de sustentabilidade na produção, Anna-Karin Dahlberg.

O CEO da marca, Martin Höfeler, afirma-se «feliz ao ver a Lenzing dar o passo certo e ser pioneira na indústria, oferecendo a primeira fibra de viscose limpa e sustentável fabricada a partir da madeira certificada num processo novo e limpo com os mais altos padrões».