Início Notícias Têxtil

Lenzing pisca o olho ao inverno

A produtora de fibras austríaca está a desenvolver produtos pensados para a estação fria, com um lançamento nesse sentido previsto para breve. Até lá, a Lenzing continua a mostrar as suas valências e, em Portugal, criou um projeto especial que juntou seis designers de nacionalidade austríaca com seis empresas têxteis lusas.

Pedro Gonçalves

A Lenzing marcou presença, pela terceira vez, no Modtissimo, numa altura em que o mercado nacional se tem mostrado cada vez mais relevante no contexto internacional. «Estamos a sentir cada vez mais a necessidade de marcas e designers virem para Portugal fazerem sourcing», afirma Pedro Gonçalves, diretor da Lenzing para os mercados ibérico e sul-americano. «Estamos presentes cá no sentido de os apoiar, porque muitos deles perderam as referências de anos anteriores. Alguns designers que estavam há 10 ou15 anos sem vir a Portugal fazer sourcing estão a regressar, por uma questão de conjuntura. Estamos aqui no Modtissimo a tentar dar apoio, para desenvolver o mercado português», explica ao Portugal Têxtil.

A presença no salão serviu também como montra para uma parceria que a Lenzing estabeleceu com a embaixada da Áustria em Portugal, onde designers naturais deste país da Europa Central foram convidados a desenvolver peças com tecidos e malhas produzidos em território nacional. «O objetivo é chamar a atenção da moda da Áustria de que Portugal pode ser um país de sourcing», sublinha o diretor para os mercados ibérico e sul-americano.

Seis designers – Christoph Schwarz, Florentina Leitner, KMoje, Sophie Berger, Thang de Hoo e Texstar Produktions – foram selecionados e usaram tecidos e malhas de seis empresas portuguesas – Polopiqué, Riopele, Modelmalhas, Sidónios Malhas e Matias & Araújo. «Na competição acabou por ganhar o designer Thang de Hoo, que usou tecidos da Polopiqué. Achámos que foi o mais inovador em termos de combinação de design com o tecido», justifica Pedro Gonçalves. O vencedor irá agora ter a oportunidade de apresentar uma coleção no stand da Lenzing na próxima edição da Première Vision. «Em vez de estarmos a apresentar desenvolvimentos nos cabides normais, apresentamos uma coleção de três ou quatro peças para dizer “mais sourcing feito em Portugal”», destaca o diretor para os mercados ibérico e sul-americano.

Novidades em curso

No stand da empresa austríaca no Modtissimo, a grande novidade foi o acabamento “pele de pêssego”. «Estamos a trabalhar, uma vez mais, no segmento do Tencel, onde estamos a inovar com uma “pele de pêssego” a nível de acabamentos de malhas e, principalmente, em tecidos, tanto para vestuário, como para têxteis-lar, em que já começam a aparecer produtos e clientes interessados, não só no aspeto limpo, como na parte das flanelas de liocel – são produtos que estão a aparecer no mercado», revela Pedro Gonçalves.

Mas a Lenzing está igualmente pronta a surpreender, com novos produtos em desenvolvimento. «Provavelmente vamos começar a tratar um bocadinho mais da parte de inverno. As fibras da Lenzing são consideradas sobretudo para primavera-verão e, ultimamente, estamos a sentir muita necessidade de termos também produto para o inverno. Muito provavelmente vamos ter um lançamento novo muito em breve para essa parte», anuncia o diretor para os mercados ibérico e sul-americano.