Início Arquivo

Levi’s em queda em 2003

O colosso dos jeans Levi’s Strauss tem, este ano, muito a fazer. A empresa americana, anunciou esta semana uma queda nos lucros em 2003, em comparação com a subida alcançada no ano anterior.

 

Mas, estas não foram as únicas más notícias para o grupo. A Levi’s também apresentou maus resultados em 2001, 2002 e nos primeiros dois trimestres de 2003 devido a questões de taxas e contabilidade.

 

A empresa com sede em S. Francisco está a trabalhar de forma a recuperar a quota de mercado perdida nos anos mais recentes para várias marcas, mas agora, há um longo caminho a percorrer.

 

A empresa submeteu-se a vários anos de mudanças, transformando o modelo de negócio, com o encerramento de várias fábricas nos Estados Unidos.  

Muitas das mudanças aconteceram numa altura em que os jeans tinham “muita saída”, apesar de mais competitivo do que nos “dias de glória” da Levi’s.

 

De forma a lançar uma nota de optimismo, a Levi’s afirmou prever que as vendas do primeiro trimestre subam cerca de cinco por cento, mas devem estabilizar quando saírem os resultados do impacto do enfraquecimento do dólar nas vendas externas. A empresa perdeu 245 milhões de dólares no trimestre terminado a 30 de Novembro. Este facto contratou com os 21 milhões de dólares de lucros no mesmo período dos anos anteriores.

 

As vendas do quarto trimestre caíram cinco por cento para 1.2 mil milhões de dólares.

 

A Levi Strauss acaba também de lançar uma campanha totalmente dedicada a raparigas. esta campanha irá decorrer durante este ano, mostrando todo o interesse da Levi’s na colecção Primavera/Verão 2004 Levi’s Girl’s, que através dos seus “square cuts” (cortes quadrados) enfatiza o look “tough sexy” (duro e sexy) da marca. Esta linha feminina destina-se a raparigas dos 15 aos 25 anos, e baseia-se na atitude das que usam estes novos cortes.

 

Para esta estação a Levi’s aumentou consideravelmente a sua oferta feminina, e existe neste momento uma percentagem de quase 50/50 entre os mercados feminino e maculino, o que nunca tinha acontecido antes na história da marca.