Início Arquivo

Lojas Soraya espalham-se pelo país

A empresa Manuel Alves Salgueiro & Cª SA, com actividade vocacionada para o comércio de tapetes orientais e artigos de decoração, está a finalizar um estudo de modo a investir no aumento da sua rede de lojas da marca própria Soraya, em sistema de «franchising». António Gonçalves, Director Geral Adjunto da empresa, adiantou ao JORNAL TÊXTIL «Nós vamos estar presentes na Expo- Franchising em Abril, e é a partir daí que vamos arrancar», estando este inicio previsto para Julho deste ano. «Já está finalizado o manual de captação, com as ultimas correcções e os encartes finais», acrescentou.

O alargamento do negócio neste regime será fora dos grandes centros urbanos e vai envolver espaços mínimos de 70 metros quadrados, com um investimento inicial de 16 mil contos. As lojas Soraya estão entretanto a ser envolvidas noutro projecto, tendo António Gonçalves confirmado ao JT que «a maior parte das lojas foram objecto de remodelação, com uma renovação de imagem», tendo sido investidos globalmente cerca de 100 mil contos. Refira-se que as 13 unidades da Soraya apresentaram no ano transacto um volume de negócios de 1,29 milhões de contos contra 1,13 milhões em 1998, um crescimento que se ficou a dever à abertura de mais uma loja desta marca de tapetes orientais, apresentando-se a empresa como líder no território nacional deste género de artigos.

Acrescente-se que a Manuel Alves Salgueiro & Cª SA é ainda a proprietária da cadeia de lojas SuperDecor, anteriormente conhecida por Supermercado das Alcatifas, cujas 19 lojas apresentaram, no passado ano, receitas de cerca de 1,97 milhões de contos, tendo registado igualmente uma subida relativamente aos 1,87 milhões referentes ao ano de 1998.

A abertura desta marca ao regime de «franchising» está neste momento dependente dos resultados do anunciado processo da rede Soraya, embora esteja previsto alinhar por esta orientação em 2002. A Manuel Alves Salgueiro, fundada em 1945, lidera este negócio repartindo-o por 12 empresas, passando pelo retalho e pela revenda, esta responsável por 40% do negócio, tendo apresentado no passado ano uma facturação global na ordem dos 5,6 milhões de contos.