Início Arquivo

Londres abre-se ao mundo

A Semana de Moda de Londres vai provar a reputação da capital britânica de criatividade e inovação digital a partir de hoje, numa altura em que há sinais de que o mercado mundial de luxo está mais forte. Alguns dos nomes favoritos do mundo da moda, como Burberry, Paul Smith e Tom Ford, vão competir com marcas jovens e arrojadas como Christopher Kane, Peter Pilloto, Simone Rocha e a dupla portuguesa Marques’Almeida nos desfiles e apresentações. «Londres é a cidade mais criativa e experimental. Tem tudo a ver com talentos emergentes e novas ideias», sustenta Helen David, diretora de moda nos grandes armazéns de luxo Harrods. O número de consumidores de bens de luxo deverá aumentar para 440 milhões em 2020, em comparação com 380 milhões atualmente, segundo um estudo da associação de bens de luxo Altagamma e a consultora Boston Consulting Group. Dois terços do crescimento no mercado de luxo na próxima década será orgânico, com os volumes de vendas comparáveis a subirem em termos anuais, concluiu o estudo. Mais de 5.000 compradores e jornalistas de todo o mundo deverão acorrer ao evento de cinco dias em Londres, trazendo uns estimados 100 milhões de libras (121,7 milhões de euros) de encomendas a cada estação, dois terços dos quais de compradores internacionais. «Estamos a ver muito do consumo a ter origem em turistas internacionais, com muitos chineses, russos e compradores do Médio Oriente a virem a Londres sobretudo para comprar luxo», revela Fflur Roberts, diretora de bens de luxo na empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International. Mais de 80 designers deverão mostrar coleções com cores ousadas para o outono-inverno 2014/2015, assim como os padrões monocromáticos que já são uma tendência, antecipam especialistas da indústria. «Os pastéis da última estação serão substituídos por cores fortes e os tons de roxo e magenta serão fundamentais», acredita Helen David. «Estamos também a ver uma variedade de tons de joias e os looks monocromáticos deverão continuar a ser cruciais para tudo, desde vestuário de dia a vestidos de noite para a nova estação», acrescenta. Quarenta e dois desfiles serão transmitidos em direto e a Topshop irá mesmo apresentar a primeira instalação 3D ao vivo, permitindo que os espetadores em todo o mundo vejam o desfile de todos os ângulos em realidade virtual. O desfile da Topshop será ainda aberto ao público, em vez de estar restrito à imprensa e aos compradores. «A filosofia da Topshop sempre foi democratizar a moda», explica Sheena Sauvaire, diretora de marketing e comunicações da empresa. «Não só marcas como a nossa estão a abrir o mundo da moda, como a tecnologia está a dar acesso a todos. Estamos a permitir que todos se envolvam e se divirtam». O British Fashion Council está marcar o início da Semana de Moda de Londres, que coincide com o Dia dos Namorados, com uma campanha batizada #LoveLFW. Os fãs estão a ser encorajados a partilhar as suas imagens favoritas, look na passerelle ou campanha, que serão mostrados num quadro do Pinterest e partilhados no Twitter. Os seguidores do Twitter poderão ainda acompanhar sessões de perguntas e respostas com Tweeters convidados, que irão responder através de um clip de vídeo de seis segundos na plataforma social Vine.