Início Notícias Mercados

Londres substitui Paris

A Cidade-luz foi trocada pela capital britânica como destino de eleição dos turistas em busca de artigos de luxo depois dos ataques terroristas e da onda de assaltos que abalaram Paris. Como resultado, o sector do luxo parisiense começa a ressentir-se.

Alvo de vários ataques terroristas e de assaltos mediáticos ao longo deste ano, os especialistas afirmam que o sector de moda e luxo francês, avaliado em 18 mil milhões de dólares (aproximadamente 17 mil milhões de euros), está sob ameaça. Segundo o The Independent, os gastos têm sido redirecionados para a Grã-Bretanha, que assistiu a um boom nas vendas.

Embora os atos de terrorismo frequentemente resultem em quebras de curto prazo nas vendas no retalho, os recentes ataques em Paris, combinados com assaltos violentos a celebridades como Kim Kardashian, estão a levar os turistas a pensar que a Cidade-luz já não é tão segura como outrora.

Como resultado, a Grã-Bretanha é agora percebida como um destino mais seguro e Londres rapidamente se desatacou dentro das preferências dos visitantes estrangeiros à procura de compras luxuosas.

Em outubro, a estrela da reality TV Kim Kardashian terá tido uma arma apontada à cabeça dentro do hotel de luxo no qual estava hospedada durante a semana de moda de Paris, num roubo de joalharia avaliada em milhões de dólares. No entanto, este não foi um incidente isolado.

No mês passado, a atriz de Bollywood Mallika Sherawat e o seu parceiro foram alegadamente atacados com gás lacrimogéneo numa tentativa de roubo. Já a estrada que liga Paris ao aeroporto Le Bourget, o terminal mais movimentado da Europa para jatos particulares, foi alvo de dois roubos nos últimos dois meses.

Duas turistas abastadas do Qatar e um empresário francês foram atacados com gás lacrimogéneo por dois indivíduos que fugiram com os seus pertences pessoais avaliados em milhões de dólares.

Ainda que seja difícil perceber qual a contribuição destes eventos para a queda das vendas de luxo em Paris, a França conheceu uma queda de 8% nas visitas de turistas desde janeiro. «Penso que os indivíduos estrangeiros de alto património se afastaram de França por causa dos ataques terroristas. Os roubos apenas dificultaram a situação. Deste modo, Londres e Suíça estão a beneficiar», afirmou Luca Solca, responsável de produtos de luxo do Exane BNP Paribas, ao portal The Business of Fashion (BoF).

Por consequência, a casa britânica de moda de luxo Burberry revelou, no início deste ano, que as vendas no Reino Unido subiram mais de um terço. Ainda assim, Burberry não é a única marca a prosperar com a mudança de rota dos turistas abastados.

Os grandes armazéns londrinos Harrods conheceram as melhores semanas de negócio este ano, quando os visitantes em busca de artigos de luxo inundaram o Reino Unido graças à libra mais fraca e à garantia de segurança. «As preocupações de segurança na Europa têm levado mais turistas para o Reino Unido. Grande parte do mercado do Médio Oriente não se sente seguro ou bem-vindo em França e, por isso foi, para o Reino Unido», explicou Michael Ward, diretor da Harrods, ao Financial Times.

Não obstante, Paris ainda ocupa o topo da lista das 10 maiores capitais mundiais de moda, representando entre 5% e 6% do mercado global de luxo.