Início Arquivo

Louca por compras

Depois do grande sucesso das peças de vestuário usadas e imortalizadas por Sarah Jessica Parker, no filme “Sexo e a Cidade”; e da elegância das actrizes Meryl Streep e Anne Hathaway, em “O Diabo Veste Prada” – filme que proporcionou a sua primeira nomeação para óscar de Melhor Figurino –, Patricia Field está de volta com “Louca Por Compras”. A divertida comédia da Disney, baseada nos romances best-sellers de Sophie Kinsella – e que já venderam mais de 15 milhões de exemplares –, conta a história de uma consumidora compulsiva que sonha trabalhar para uma revista de moda importante, mas que acaba por aceitar a função de conselheira numa revista sobre finanças. Centrado totalmente na moda e nas grandes marcas mundiais de vestuário, durante toda a longa-metragem, a actriz Isla Fisher (Becky) visita algumas das lojas mais conceituadas e exclusivas de Manhattan, como a Barneys New York, Henri Bendel, Scoop e Prada. Além disso, Field providenciou ainda para o elenco peças de estilistas bastante conhecidos, entre eles Todd Oldham, Pucci, Gucci e Versace, e foi inclusive ao Japão para adquirir mais algumas pechinchas. Gosto de misturar géneros. Antigos com modernos, caros com baratos. é essa mistura que permite que as pessoas criem o seu próprio estilo», explicou Patricia Field. Para a criação dos figurinos de “Louca por compras”, a figurinista inspirou-se igualmente nos ensaios e nas interpretações de ambas as personagens femininas de maior destaque na longa-metragem. Eu descreveria o visual do filme como jovem, novo e sensual. Quando vi Isla e Krysten Ritter – que interpreta a melhor amiga de Becky – a ensaiar, surgiram rapidamente muitas ideias. Elas gritavam e berravam, pulavam e riam. Não havia nada de calmo. Tudo que faziam envolvia muito movimento e logo imaginei-as a usar roupas jovens com cores vibrantes», revelou Field. Habituada a vestir mulheres com corpos muito distintos, Patricia Field considera que o principal segredo para nunca errar passa por cada pessoa conhecer bem o seu corpo e adaptar as indumentárias ao seu próprio estilo. Por exemplo, eu vesti Jennifer Hudson no filme “O Sexo e a Cidade”. Ela é alta e forte, mas tem uma estrutura física fantástica, na medida em que tem pernas longas e é muito bonita. No seu caso, aconselho a realçar a cintura, com cintos originais e ter confiança. O importante é não deixar que o peso atrapalhe o estilo ou afecte o desejo de ser bonita», afirmou Patricia Field, acrescentando ainda que para uma mulher se vestir bem, o segredo não passa por gastar exorbitâncias, mas sobretudo saber conciliar estilo com bom gosto. Estilo não é necessariamente sinónimo de dinheiro. Na realidade, uma pessoa pode não ter dinheiro e ter um óptimo estilo ou, por outro lado, ter muito dinheiro e nenhum estilo. O estilo faz-se mediante a conjugação das peças, de forma a torná-las adequadas e bonitas. Na realidade não há regras, o ideal é ser-se criativo», concluiu.