Início Arquivo

Maior diversidade na moda para crianças

A diversidade de produtos e preços tem conquistado o segmento de roupa para crianças, com os nomes mais conhecidos da moda como a Dior, Calvin Klein, Ralph Lauren ou Donna Karan a rivalizarem o seu espaço junto dos mais pequenos a par com as já estabelecidas marcas Cenoura, Petit Patapon, Jacadi, Zara ou Benetton. O que não falta é variedade de opções e constata-se que os pais raramente resistem a ver os seus filhos vestidos à sua imagem. Marina Costa, gerente da Loja das Meias, diz que o segmento infantil da Ralph Lauren tem tido um sucesso crescente nos últimos cinco anos. «A nossa loja está vocacionada para a moda de Homem e Senhora e no primeiro ano que expusemos roupa infantil, foi mais por graça. Hoje em dia, consideramos que tem sido um bom investimento, com bastante saída. Os nossos clientes vêm em família e compram todos ao mesmo tempo, alguns até tudo igual». Desengane-se quem pensa que isto de vestir igual é coisa da responsabilidade da mãe, pois são muitos os homens que gostam de ver os filhos com roupa igual à deles. Relativamente ao preço, «é raro um cliente entrar e reclamar do preço. Também quando se entra na Loja das Meias, já se tem mais ou menos ideia dos preços aqui praticados. Diria que 60% dos clientes não olha ao preço. Normalmente são clientes habituais.» Não é nada fora do normal uma família deixar na loja um cheque de 100.000$00. Quanto às marcas, há pais que gostam que as marcas estejam visíveis e há aqueles que não gostam precisamente do exagerado espaço que algumas marcas ocupam nas roupas. Mas há também os pais com saudades do tempo em que os filhos vestiam as roupas sem contestações e que ainda se regem por gostos da sua geração. Em muitos casos, «a mãe ainda está agarrada a um conceito e a filha, por causa das amigas, das primas ou das irmãs mais velhas, já não quer saber de vestidinhos», adianta Betina Gameiro, proprietária da loja multimarca Marias e Maneis. «O mesmo acontece com os rapazes, que por volta dos sete anos já não querem ouvir falar da calções de xadrez, por exemplo», acrescenta. Betina Gameiro, já foi desenhadora de moda infantil e tenta comprar para a loja roupa que ela própria desenharia, dando especial atenção à qualidade. «Hoje em dia, a mesma fábrica que produz roupa de adulto também o faz para criança, com a mesma atenção aos pormenores. Escolho peças que sei, à partida, que os pais encontrarão iguais para si próprios». Resta saber se a moda para crianças criada pelos grandes estilistas veio para ficar ou será ela própria uma questão de moda…