Início Arquivo

Mais jeans a preços mais baixos

Dos produtores de jeans puros e duros aos criadores, dos hipermercados às cadeias especializadas, passando pelas lojas de pronto-a-vestir ou ainda pelas lojas das marcas, actualmente todos produzem, importam, põem a sua marca ou distribuem jeans. Jeans que têm um corte, aspecto, detalhes e mesmo um uso cada vez mais diferenciado. Quer isto dizer que a quota de mercado dos tradicionais produtores de jeans, marcas historicamente especializadas, não pára de diminuir, na medida em que os outros actores e circuitos não especializados têm vindo a invadir cada vez mais o seu território.Face a esta concorrência, que se generaliza e ganha cada vez mais força, os especialistas em jeans têm tentado reagir e adaptar-se, como se pode ver através dos resultados da sondagem realizada pelo Journal du Textile junto a uma amostra representativa dos pontos de venda. Ao longo de 2006, estes últimos têm redefinido a sua oferta de diversas formas. Para começar, integraram mais acessórios, especialmente calçado (que representava 13% em 2005 e que agora se situa nos 17%).As empresas de jeans puseram também um travão no alargamento permanente da sua oferta nas suas marcas mais pequenas, pouco conhecidas e muito "moda" – uma tendência que caracteriza a sua estratégia há algumas estações – para recentrar a sua oferta nas marcas fortes, um domínio onde a sua legitimidade é maior. Têm procurado igualmente propor linhas completas das suas marcas de grande notoriedade: jeans certamente, mas também artigos em tecido de algodão e linho (com um aumento destes nas suas propostas), em veludo ou em tafetá, camisolas, camisas e acessórios.Outra reacção muito clara das empresas de jeans: elas comprimiram muito as suas margens. E o fenómeno visou – pela primeira vez neste circuito – o conjunto dos produtos. A evolução dos coeficientes multiplicadores em relação a 2005 demonstra-o: estes passaram de 2,30 a 2,226 para os jeans; de 2,32 a 1,99 para as outras calças; de 2,33 a 2,28 para as partes de cima; e de 2,37 a 2,36 para os acessórios. Um esforço que pretende atingir um objectivo claro: permitir às empresas de jeans, num ambiente que se tornou hiper-concorrencial, propor uma melhor relação marca-qualidade-oferta-preço.