Início Notícias Retalho

Mango investe na otimização

A retalhista espanhola de moda, que doou mais de 360 mil euros ao fundo solidário de Covid-19 da OMS, investiu num novo centro de distribuição automatizado perto de Barcelona para responder a todas as necessidades das lojas físicas e online.

[©Mango]

Com o novo centro de distribuição multicanal, a Mango pode agora preparar toda a gama de produtos que disponibiliza num único local, desde o vestuário dobrado ao pendurado e também acessórios, noticia o just-style.

Projetado e construído pelo TGW Logistics Group, da Áustria, o centro de distribuição automatizado reabastece mais de 2.200 filiais e clientes online não só em Espanha e na Europa, mas em todo o mundo.

Fundada em 1984, a retalhista espanhola é um dos principais grupos de moda a nível mundial de vestuário, calçado, bolsas e acessórios em mais de 110 países. Com 15 mil funcionários, a Mango atingiu um volume de negócios de 2,4 biliões de euros em 2019.

A empresa decidiu investir neste novo centro para conseguir otimizar os prazos de entrega e, em simultâneo, reduzir os custos de logística. «Estamos a dar o próximo passo para modernizar o nosso sistema de intralogística com este novo centro de distribuição», afirma Antonio Pascual, diretor da cadeia de aprovisionamento na Mango.

Na entrada, as caixas são recebidas diretamente em contentores ou paletes. A área de armazenamento e preparação de encomendas incorpora um sistema miniload com 44 corredores e uma capacidade para 850 mil embalagens. Na zona de picking, onde são preparados diariamente os pedidos de vestuário simples e acessórios em caixas de cartão, existem oito estações de transporte e um serviço de Stingray que consiste em 14 corredores com 13 níveis em cada um, para fornecer caixas de referência única nas estações de trabalho de picking da TGW.

«A nova solução é totalmente automatizada e combina tanto flexibilidade como dinâmica, com um controlo máximo em cada processo», explica David Bendien, CEO da TGW do sul da Europa.

No ano passado, o comércio eletrónico representou 24% da faturação total da retalhista, que mesmo durante a pandemia de Covid-19 continuou a vender online.

Compromisso solidário

Ainda à luz da pandemia, em maio, a Mango reforçou o compromisso de contribuir para a luta contra a propagação do vírus. Deste modo, a cadeia de moda foi a primeira empresa espanhola a cooperar com a Organização Mundial de Saúde (OMS), com um acordo em que o principal objetivo era doar 1% do rendimento obtido nas lojas físicas da marca em 26 países maioritariamente europeus, incluindo também a Turquia, a Rússia e os EUA.

[©Warehouse Automation Canada]
A iniciativa entrou em vigor tendo em conta as datas de abertura das lojas físicas em cada país e conseguiu angariar um total de 360 mil euros para o fundo “Covid-19 Solidarity Response Fund”, um projeto solidário que visa apoiar diretamente o trabalho da OMS para ajudar os países a recuperarem e a combaterem o novo coronavírus. O donativo da Mango destina-se ainda para a compra e distribuição de material médico em falta em 135 países e para apoiar as nações mais vulneráveis com medidas de saneamento e prevenção e à investigação para o desenvolvimento de vacinas.

A retalhista tem tido um papel ativo na luta contra o Covid-19, visto que no final de março tinha já doado dois milhões de máscaras a vários hospitais no país vizinho através do Ministério da Saúde e confecionou 13 mil batas para as equipas de saúde.

Atualmente, a Mango conta com aproximadamente dois mil pontos de venda abertos, o que é equivalente a 94%, quase o número total de lojas.

Continuar a reagir

Durante o confinamento, a Mango adaptou-se à nova realidade com regras para os serviços de entregas e devoluções adequadas à situação, que contribuíram para que a marca aumentasse as vendas online em 50%. A Mango aproxima-se agora dos seis milhões clientes ativos no comércion online, graças aos 900 mil novos clientes que compraram durante o confinamento. «A Mango faturou cerca de mais 50% do que no mesmo período de 2019. Durante estes dias, a multinacional também contabilizou mais de 140 milhões de visitas ao seu e-commerce, o que se traduz num crescimento de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior», explica em comunicado, onde o Toni Ruiz, CEO da Mango, destaca que o canal online da retalhista espanhola já ultrapassou em 20% o objetivo inicial.

[©Mango]
No pós-pandemia, a cadeia de moda continuou a adaptar-se e tem à venda dois tipos de gel hidroalcoólico perfumado de origem vegetal a pensar numa desinfeção «eficaz» das mãos. Tendo em conta que o uso da máscara está presente no novo dia a dia, a Mango oferece máscaras higiénicas e reutilizáveis na coleção, que garantem uma filtragem superior a 90%e uma respirabilidade maior que 60%. Os modelos podem ser submetidos até 10 lavagens e encontram-se à venda versões para adulto em tamanho único e para criança com três tamanhos disponíveis e diferentes estampados. O preço destes equipamentos de proteção, que seguem as «especificações relativas aos materiais, estrutura e confeção estabelecidas pela UNE 0065:2020», varia entre os oito e os 10 euros.