Início Arquivo

Mango não conhece crise

A Mango está disposta a pôr o pé no acelerador quando a palavra de ordem é crescimento. Isto porque a cadeia espanhola de moda, que se converteu no maior grupo europeu de distribuição, por número de países em que opera, prevê abrir um total de 600 pontos de venda em 2011, face às 413 aberturas registadas este ano. Deste modo, a empresa aumentará o seu ritmo de inaugurações em cerca de 42% e acelerará o seu objectivo de abrir uma loja por dia, um plano que conseguiu pela primeira vez em 2010. A Mango encerrará este ano com 1.800 pontos de venda espalhados por 105 países. A empresa sedeada em Barcelona apoia-se em novas fórmulas de desenvolvimento para sustentar o seu crescimento. No ano transacto, a Mango aliou-se inclusivamente aos grandes armazéns norte-americanos JC Penney para crescer nos EUA. Recentemente, fez algo semelhante com o grupo italiano Coin. No entanto, a China e a Rússia serão os mercados-alvo da Mango em 2011. Isto porque a empresa liderada por Isak Andi prevê abrir 120 estabelecimentos na China e 68 na Rússia. Para além destes planos, a Mango apresentou recentemente em Madrid a sua nova colecção para a Primavera/Verão 2011, que deixa antever uma linha de indumentárias repletas de tons cru, camel, amarelo, roxo e verde com algum estampado florido em linhas simples e de silhuetas minimalistas. A empresa, que realiza 83% da sua facturação no mercado internacional, registou um volume de negócios consolidado de 1.145 milhões de euros em 2009, com um crescimento de 4% relativamente ao ano anterior. Os resultados líquidos situaram-se nos 143,26 milhões de euros, ou seja, 3,3% mais do que em 2008.