Início Notícias Marcas

Marcas no ativo

Há um conjunto de marcas a digladiar-se para tirar o trono à gigante Lululemon. Com uma periodicidade praticamente semanal, há, algures no mundo, uma grande empresa de lifestyle a lançar uma linha de activewear. Entretanto, também uma nova marca indie do segmento explode nas redes sociais. Tudo isto se pode explicar com recurso aos números: ainda que as vendas de roupa feminina se tenham mantido mais ou menos estanques na história recente, as de activewear só conhecem a subida, de acordo com o NPD Group.

Só nos EUA, os consumidores gastaram mais 33 mil milhões de dólares (aproximadamente 29,9 mil milhões de euros) em leggings e outros artigos desportivos entre junho de 2013 e junho de 2014.

O dinheiro está a ser encaminhado para o sector – não só por insígnias como a Kate Spade, Ralph Lauren e Tory Burch, mas também por capitais de risco, que investiram milhões de dólares em marcas emergentes, incluindo a Outdoor Voices, Tracksmith e a Rhone, na esperança de que uma destas se assuma como a próxima Lululemon ou Nike.

Estas são as novas marcas de activewear a ter no radar, de acordo com o portal Fashionista.

Alala

Gabrielle Porcaro, editora de moda e mercado na Women’s Health, e Julia Malacoff, editora de moda na Shape, focam o sucesso na Alala, marca sediada em Nova Iorque que prima pela qualidade, versatilidade e assinatura de moda das suas peças. Trata-se de peças com uma estética cuidada, fáceis de usar e que transitam facilmente do ginásio para um brunch de pós-treino.

A fundadora Denise Lee começou a Alala em 2014 e os preços situam-se na parte alta do espectro – um par de leggings de corrida custa cerca de 110 dólares, enquanto um casaco de malha bomber se situa nos 225 dólares. Mas valem «absolutamente a pena», afirmou Malacoff ao Fashionista. Além do próprio site, a linha é vendida na Bloomingdale’s, Equinox e Free People, entre outros.

K-Deer

As leggings multicoloridas, com riscas pretas da K-Deer são imediatamente reconhecíveis – tão reconhecíveis, que a Athleta foi obrigada a retirar do mercado umas leggings de ioga muito semelhantes às da marca de três anos, depois de os seguidores da K-Deer terem iniciado um protesto online.

A fundadora Kristine Deer, uma entusiasta do ioga, começou a marca depois de ter sido demitida do departamento de design da Converse, mas os seus primeiros designs na K-Deer são creditados por terem alavancado a tendência das leggings estampadas.

Karma Athletics

A Karma Atheletics não é uma marca propriamente nova. Com sede em Vancouver está no mercado há 12 anos, mas não é muito conhecida nos EUA – ainda.

A marca é reconhecida pelas suas partes de cima sensuais, com diferentes tamanhos, cortes e alças intrincadas.

Varley

Para as amantes de transparências e estampado leopardo ou mármore, a Varley é a opção ideal.

A marca foi lançada em Londres em 2012, como uma linha beachwear e apenas recentemente se expandiu para athleticwear. «Esta é uma marca que considero que os adeptos do fitness vão levar rapidamente para as ruas de Nova Iorque», admitiu Porcaro.

Aday

As peças da Aday poderiam facilmente assumir-se como streetwear – mas a tecnologia de absorção do suor revela rapidamente as suas propriedades de performance.

Detalhes cool, como um bolso para o telemóvel, tornam os seus produtos em verdadeiros must-haves e colocaram as fundadoras Meg He e Nina Faulhaber na lista “30 Under 30” da revista Forbes.

Michi

Michi chegou a Nova Iorque em 2010, bem antes da tendência activewear ter descolado, e já tem uma grande lista de retalhistas internacionais (incluindo a Neiman Marcus e a Shopbop) e uma ampla gama de categorias, incluindo sapatilhas e artigos de natação.

Cortes pouco convencionais e peças ricas em cor são duas das assinaturas da marca, tornando-a numa das favoritas das editoras de estilo. Não obstante, os preços da Michi não são os mais acessíveis, um soutien desportivo pode custar até 195 dólares.

Koral

Pausem-se, por momentos, as leggings de ioga, porque os jumpsuits de performance da Koral são música para os ouvidos de mulheres que querem levar a sensualidade para os treinos.

Com sede em Los Angels, a designer Ilana Kugel cria looks memoráveis ​​com estampados, recortes e metalizados.

Goldsheep

Abacaxis, flores…o rosto de Frida Kahlo – todos estes padrões, e muitos mais, podem ser encontrados nas leggings atrevidas da Goldsheep, favoritas da atriz de “Big Bang Theory” Kaley Cuoco.

Cada peça é feita em Laguna Beach, Califórnia, e vendida no site da Goldsheep.

Heroine Sport

Os designs da Heroine Sport são clássicos, desportivos e elegantes – ideais para quem pretende afastar-se quanto baste da Lululemon e da Tory Sport sem, ainda assim, querer ir muito longe.

As leggings de performance também são «bastante confortáveis e lisonjeiras», apontou Malacoff. As peças são vendidas no website da Heroine Sport, bem como em grandes armazéns, incluindo a Bergdorf Goodman e a Saks Fifth Avenue.