Início Arquivo

Marcas portuguesas superam expectativas na SIMM

Terminou na segunda-feira a 53ª edição da SIMM – Semana Internacional de Moda de Madrid -, que contou com a participação de várias empresas portuguesas – cerca de 40 no total -, com especial destaque para as 23 marcas presentes a convite da ANIVEC – Associação das Indústrias de Vestuário e Confecção eo ICEP.

De acordo com o representante da Anivec Amorim Alves «as expectativas foram superadas já que, a presença portuguesa tem vindo a crescer, havendo cada vez mais marcas a serem promovidas no mercado espanhol».

As 23 marcas presentes, integradas na parceria Anivec/Icep, a Oxford, Habitus, Soporcol, Ircil, Diparra, Hydrogen, Concreto, GFR Sport, Carlo Visconti, Jotex, Diniz & Cruz, Dielmar, Onara, Peter Murray, Pietrinni, 1964 Collection, Dunil, Jobarros, Pierlorenzo, Riccoli, Cristina Félix, Grasil e D’Assenta contaram com a organização do Portugal Fashion para a realização de quatro desfiles diários onde foram apresentadas as colecções Outono/Inverno 2005/2006.

Esta acção reflecte a vontade portuguesa em mostrar que Portugal continua a fazer bem, marcando a diferença num mercado competitivo como é o espanhol. «Há cada vez mais contactos e mais clientes em Espanha, o que vem provar que Portugal é capaz de fazer bem, afirmando as suas marcas de uma forma natural», acrescenta Amorim Alves.

No que diz respeito às empresas a opinião geral era satisfatória, sendo que a presença no mercado espanhol é já um dado adquirido. A participação na SIMM é importante, assim como a promoção que tem sido feito às marcas nacionais.

No que diz respeito à ameaça chinesa é, de acordo com Eduardo Antunes da Soporcol, «uma realidade com a qual temos de viver» e por isso há que a enfrentar através da «formação, participação nas feiras e promoção das marcas de forma a conseguir um crescimento sustentado» explica.

Para a maioria das empresas presentes, o «objectivo tem sido cumprido, por isso estamos satisfeitos», como confirma João Lança da Oxford. No que diz respeito à participação do Portugal Fashion, através da organização dos desfiles durante a feira, «trazem maior visibilidade para a moda e empresas portuguesas, sendo extremamente positiva e funcionando muito bem», acrescenta.

Pela ATP, Paulo Nunes de Almeida reconhece que «estamos no bom caminho, sendo que a presença nesta feira é muito importante em termos internacionais». Para o presidente da ATP a aposta portuguesa deve obrigatoriamente passar «pela aposta na marca e nos sistemas de distribuição», sem os quais Portugal terá muitas dificuldades em sobreviver. No que diz respeito à China, Nunes de Almeida alerta para os dados preocupantes relativos às importações de produtos provenientes da China, «sendo necessário conceber um plano ofensivo, mas também defensivo que passam pelas cláusulas de salvaguarda». Tal como o fez na reunião com Santana Lopes, Paulo Nunes de Almeida deixou o desafio ao futuro Governo: «Portugal precisa de ter coragem política para lutar na Comissão Europeia de forma a assumir a liderança do sector na UE».

De referir que a SIMM é um dos eventos de moda mais importantes da Península Ibérica, contando com a participação de cerca de 1100 expositores, de 43 países e representando 1700 marcas.