Início Notícias Vestuário

Marjomotex mais verde

A produtora de vestuário é a mais recente empresa portuguesa com certificação GOTS. Tendo iniciado em 2016 uma etapa decisiva do processo de internacionalização, a Marjomotex reforçou os pilares da sua política de sustentabilidade para suportar a conquista de novos mercados.

Desde fevereiro que a Marjomotex pode garantir aos seus clientes que todos os produtos rotulados com o logotipo Global Organic Textile Standard (GOTS) são produzidos a partir de materiais orgânicos e cumprem requisitos de responsabilidade ambiental e social.

«Na Marjomotex temos uma política de sustentabilidade já bem alicerçada. Temos procurado formas de tornar a produção e o consumo de matéria-prima mais sustentáveis. Além da preocupação com o futuro, também procuramos confecionar produtos que se adequem a consciência dos consumidores, que estão mais preocupados com as questões ambientais», afirma, ao Portugal Têxtil, a diretora-geral da empresa, Mónica Afonso.

Ainda no âmbito do compromisso verde da Marjomotex, a diretora-geral adianta que, depois da certificação, se seguirá a instalação de painéis solares para fornecimento de energia e de um sistema de recolha de águas para alimentação das redes de água da empresa, que abastecem caldeiras e outros equipamentos.

«Estes investimentos ocorrerão no novo pavilhão que temos já em projeto e que terá todo ele uma lógica de construção sustentável», explica Mónica Afonso.

A certificação GOTS da Marjomotex destina-se ao comércio e produção de vestuário, de produtos “GOTS Organic” (95% a 100% de fibras orgânicas) e “GOTS Made with [x]% organic material” (70% a 94% de fibras orgânicas).

Garantindo postos de trabalho a 42 pessoas, a empresa de base familiar especializada na confeção de calças tem uma produção que varia entre 800 e 1.100 peças por dia, contando na sua carteira de clientes com marcas internacionais como a Zara, Moschino, Carolina Herrera e El Corte Inglés (ver Marjomotex derruba fronteiras).

De 2 para 8

Em 2016, a Marjomotex iniciou uma etapa decisiva do seu processo de internacionalização, visando alcançar mercados e marcas globais. No âmbito desse processo, a produtora de vestuário reposicionou-se no mercado, apostando em novas tecnologias e reforçando as suas boas práticas e política de sustentabilidade.

«Estamos, neste momento, em oito países da Europa. Passámos de dois para oito mercados», revela Mónica Afonso.

Depois de todas estas conquistas e com um 2017 fechado na ordem dos 700 mil euros, a Marjomotex encara 2018 com otimismo.

«O ano está a arrancar positivamente, temos tido bastantes contactos e encomendas. Os maiores desafios passam por aumentar a faturação e alicerçar a presença nos mercados onde já estamos presentes», conclui a diretora-geral da Marjomotex.