Início Destaques

Marjomotex traça novas metas

Nos últimos três anos, a empresa de confeção tem feito um esforço suplementar na exportação e está a reestruturar a sua carteira de clientes, graças a séries pequenas e certificações. O próximo passo passa por Paris, onde a Marjomotex espera estrear-se na Première Vision ainda este ano.

A empresa familiar, liderada por Mónica Afonso, está a dar passos firmes e seguros na reformulação do seu negócio. Especializada na confeção de denim, a Marjomotex começou a explorar diretamente os mercados internacionais há cerca de três anos, procurando um novo tipo de cliente.

«A empresa já existe há 40 anos, mas trabalhávamos muito a feitio e nunca diretamente com os clientes. Concorremos a um projeto de internacionalização, reestruturámo-nos e passámos a tentar o contacto direto com as marcas. A nossa carteira reestruturou-se toda, porque conseguimos alcançar os mercados e com clientes diretos», explica, ao Portugal Têxtil, Mónica Afonso, que assume a direção geral da empresa fundada pelos pais, Jacinto Silva e Fátima Afonso.

O processo está ainda em curso e, como tal, a Marjomotex continua a fazer grandes produções a feitio, mas já se sentem as mudanças. «Tínhamos uma dependência de talvez 60% da confeção a feitio e agora será o inverso: 40% a feitio e o resto direto», indica Mónica Afonso. O foco atual da empresa «são clientes mais pequenos», aponta. «O nosso mínimo de produção são 100 peças por modelo, por isso conseguimos chegar a clientes mais pequenos mas de valor acrescentado», refere. Marcas emergentes, mais experimentais e ousadas fazem parte do novo leque de clientes da produtora de vestuário. «Esse tipo de clientes permite-nos crescer e apresentar produtos com maior qualidade», afirma a diretora-geral.

Crescer com responsabilidade

Na Marjomotex trabalham atualmente 44 pessoas, na maioria mulheres. «Estamos muito atentos à vertente social. A maior parte das funcionárias tem 20 ou mais anos de casa, já temos mães e filhas, temos cinco irmãs, temos quase famílias completas… E há uma componente muito forte: há liderança feminina e maioritariamente as funcionárias são do sexo feminino. Então, todas essas questões sociais, de equilibrar a família com o trabalho, são muito importantes. Na nossa empresa tentamos fazê-lo ao máximo», garante Mónica Afonso.

Em curso está atualmente uma auditoria Smeta, de comércio ético dos membros da Sedex, que avalia questões como saúde e segurança, normas laborais, ambiente e ética comercial.

A certificação GOTS, na área da responsabilidade ambiental, obtida no ano passado, tem também tido um papel importante. «É uma das nossas mais-valias. E até fazemos questão de a colocar bem visível, porque é mesmo um chamariz», reconhece a diretora-geral.

Os esforços da empresa têm sido reconhecidos pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que há três anos entrega à Marjomotex o prémio “Plano de Competitividade e Internacionalização” no âmbito dos Selos Visão’25. «A Câmara de Famalicão reconhece as boas práticas das empresas e costuma atribuir esse prémio no Dia do Município. Candidatámo-nos desde o início e ganhámos nas três edições», sublinha.

Première Vision no horizonte

Estas preocupações sociais e ambientais têm tido uma boa resposta por parte dos clientes internacionais. Desde que iniciou, em força, o projeto de internacionalização, em 2016, a Marjomotex angariou clientes em vários mercados, estando atualmente a trabalhar com marcas espanholas, francesas, inglesas, belgas, alemãs, austríacas e suecas. «Estamos a apostar muito na comunicação, em aparecer, para sermos vistos e também para divulgarmos as nossas certificações», revela Mónica Afonso.

Para isso, as feiras profissionais têm sido um dos veículos privilegiados. No ano passado, a Marjomotex esteve em feiras em Espanha e Reino Unido, uma presença que irá repetir este ano, numa altura em que procura encontrar também o seu espaço na Première Vision Paris. «Estivemos de visita e agora vamos fazer a candidatura para setembro. É uma feira de referência, temos que estar lá», confessa a empresária.

A Marjomotex está ainda envolvida na ação de promoção internacional da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que estabeleceu um programa de cooperação económica e social com o município de Liverpool, tendo integrado recentemente uma missão empresarial à cidade inglesa. «Correu muito bem. Criámos ligações, ficaram contactos que tenho a certeza que vão dar resultados», acredita Mónica Afonso.

O ano de 2019, de resto, arrancou bem e as expectativas para os próximos meses são positivas. «Estamos confiantes de que vai ser um bom ano», assegura, que tem como objetivos para este ano «consolidar a carteira de clientes e aumentar a faturação», que em 2018 rondou os 800 mil euros. A médio prazo, a meta será «construir uma casa nova, para nós, para os colaboradores e para receber os clientes», conclui a diretora-geral da Marjomotex.