Início Destaques

Maroc in Mode pinta-se de verde

A sustentabilidade é uma das mais recentes apostas do “made in Morocco” para subir na cadeia de valor e ganhar novos clientes internacionais. Uma área que estará em destaque na 14.ª edição da feira Maroc in Mode, que se realiza em Marraquexe na próxima semana.

A feira de sourcing marroquina realiza-se a 19 e 20 de outubro no Circuito Internacional Moulay Hassan, mantendo assim a mesma localização da edição de 2015, mas a oferta, que engloba os produtos e serviços de cerca de 200 expositores – incluindo, segundo a lista publicada no website da feira, a portuguesa Cotex (ver Cotex supera todas as provas) –, está cada vez mais focada nas vantagens competitivas do país, nomeadamente no que diz respeito às credenciais ecológicas.

«Marrocos é um dos países que segue estas mudanças pela proteção do meio ambiente e da energia limpa. O objetivo é que, até 2030, 52% da eletricidade seja fornecida por fontes de energia renováveis», explica a organização da feira em comunicado, acrescentando que «o tópico da sustentabilidade está igualmente a ter um papel importante na indústria têxtil marroquina para reforçar a produção ecológica».

Durante o certame, que deverá atrair cerca de 800 visitantes internacionais, especialmente de países como França, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido e do continente africano, a associação têxtil marroquina Amith, que organiza o evento, quer reforçar o posicionamento de Marrocos na moda ecológica, ressalvando ainda outras vantagens do país no sourcing de vestuário. «A “moda verde” tem mais apoiantes em todo o mundo. Enquanto país de sourcing, Marrocos é também muito atrativo neste aspeto. Há razões convincentes como a proximidade imediata à Europa, não ter taxas alfandegárias devido ao acordo com a UE e a situação política estável, mas também as condições amigas do ambiente da produção. Muitos produtores cumprem os padrões ecológicos e dispõem de certificações relevantes», aponta.

A Chemitex, uma das expositoras na Maroc in Mode, é um dos exemplos desta capacidade de produção ecológica, segundo a Amith. A empresa, fundada em 1970, fornece fios de algodão e outras matérias-primas em cru, branqueados e tintos, tendo as certificações Gots e Oeko-Tex. Também a Somitex, que produz vestuário de criança e senhora para retalhistas como a Next, Marks & Spencer e Sainsbury está certificada pelo BSCI (Business Social Compliance Initiative). A organização destaca ainda a produção de denim, com tratamentos com ozono em vez do mais nocivo jato de areia. «O tratamento dos jeans com ozono traz não só uma vantagem para a saúde, como também convence pelo consumo reduzido de água e químicos», destaca o comunicado.

Com marcas como a Zara, Mango, Next, Desigual, Baby Dior e Jean Paul Gaultier entre os clientes, a indústria de vestuário marroquina está a puxar de todos os trunfos para incrementar as vendas ao exterior, com a meta de, em 2020, atingir um valor de 6,5 mil milhões de dirhams (cerca de 600 milhões de euros) até 2020.