Início Notícias Mercados

Marrocos aumenta capacidade

Apesar do reconhecimento internacional, a indústria têxtil e de vestuário marroquina continua a investir na sua capacidade produtiva, procurando reunir as ferramentas que lhe permitam competir com os rivais asiáticos e com a crescente concorrência africana.

In this Wednesday, May 20, 2015 photo, Jordanian women sew jeans for the U.S. market in a garment factory in the village of Kitteh in northern Jordan. The factory opened last year and created employment in an area where options had largely been limited to men joining the army and women staying home. Yet for millions of young people in the Middle East and North Africa, jobs remain out of reach and the problem of youth unemployment has only worsened in the post-Arab Spring turmoil. (AP Photo/Raad Adayleh)

O governo marroquino atribuiu 304 milhões de dólares (277,12 milhões de euros) em subsídios às pequenas e médias empresas nacionais com cadeias de provisionamento e redes de venda estabelecidas, uma medida enquadrada no Plano de Aceleração Industrial 2014-2020. Este fundo está ativo desde janeiro de 2015 e permite reforçar o apoio dos programas de desenvolvimento Imtiaz e Moussanada desenvolvidos pelo governo. «Foi concebido para ajudar as empresas que possuem ecossistemas que lhes permitem alcançar as suas ambições.

A ajuda é dada em troca de um compromisso de emprego, criação de valor e exportações», adiantou um porta-voz do governo. No contexto do sector têxtil e do vestuário, o plano do governo inclui a «criação de 90.000 novos postos de trabalho e geração de vendas adicionais de 637 milhões de dólares no sector».

O fundo está ao dispor de pequenas e médias empresas registadas, com um volume de negócios de 10,1 milhões de dólares ou superior, através dos programas Imtiaz e Moussanada, que financiam parcialmente a aquisição de hardware, com o Imtiaz a promover 20% do investimento, disponibilizando um apoio de até 505.000 dólares. Como forma de potenciar a competitividade, o programa Moussanada disponibiliza subsídios para compra de sistemas de software, financiando até 60% do investimento total, no máximo de 60.600 dólares.

A empresa de tecelagem Codersa Sarl, baseada em Tânger, que começou a colaborar com o programa Moussanada em 2012, reportou uma melhoria de 10% dos seus rendimentos desde então. Fouad Hadri Chouki, diretor de recursos humanos da empresa, revelouque antes a produção era de «170.000 peças por mês e é agora de 185.000 em média por mês». Outros benefícios destacados incluem a reestruturação e melhoria da qualidade da produção e modernização das práticas de corte.

Simultaneamente, a empresa fabricante de vestuário de mulher e criança Yara Confection, que recebeu um apoio de 25.200 dólares e investiu 17.700 do seu fundo no desenvolvimento de produtos finais, modernização do corte e outros aspetos de melhoria de desempenho, reportou um aumento de 7,5% da sua capacidade desde 2012. Os seus objetivos são, atualmente, melhorar a estratégia, o desenvolvimento e a logística da organização.

O crescimento sustentável do sector estará dependente da sua capacidade de expandir a sua atividade comercial para lá das fronteiras europeias. Redouane Lachgar, diretor comercial e de desenvolvimento do fabricante de vestuário Salsabile, indicou que «iremos aumentar a capacidade de desenvolver o mercado americano, acrescentando seis linhas de produção. No equipamento, iremos investir maioritariamente em máquinas de costura». A inovação será, também, essencial à manutenção da relevância dos fornecedores marroquinos.

A empresa Crossing, fabricante de denim em Casablanca, introduziu um estúdio de pesquisa e desenvolvimento criativo batizado “Love & Hate”, que é simultaneamente um laboratório de design dedicado à criação de novos produtos e um espaço no qual os compradores podem experimentar o produto e as ideias criativas que estiveram na sua origem. «Este é o nosso espaço I&D onde as nossas equipas criativas, membros do staff e clientes se reúnem como ponto de partida para novas inspirações, negócios e parcerias», adiantou a empresa. O acesso ao financiamento está subjacente a este crescimento. As estratégias do Governo para o crescimento incluem «o apoio ao investimento e acesso facilitado ao financiamento através do desenvolvimento de mecanismos apropriados em parceria com as instituições bancárias», apontou o Ministério do Comércio e da Indústria de Marrocos.

O governo pretende, simultaneamente, encorajar o estabelecimento de parcerias estratégicas, aproximando as empresas intervenientes na indústria. «O objetivo é promover o estabelecimento de alianças estratégicas entre grandes empresas e as PME e criar relações que vão muito além de um mero pagador e subcontratado».