Início Notícias Têxtil

Marrocos e Portugal mais próximos

A última edição da feira internacional Maroc in Mode serviu de palco para a revelação das recentes parcerias estabelecidas entre a ATP, o Citeve e a AMITH, que assentam numa permuta entre serviços e conhecimento.

Os acordos entre as duas entidades foram consolidados durante o certame internacional, que decorreu nos dias 26 e 27 de outubro no Circuito Internacional Moulay El Hassan em Marraquexe.

Mohamed Tazi e Paulo Vaz

Em declarações ao Portugal Têxtil, o diretor-geral da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, Paulo Vaz, revelou que o acordo com a AMITH (Associação Marroquina da Indústria Têxtil e Vestuário) visa organizar o processo de aproximação das empresas portuguesas e marroquinas. Para Portugal, o acordo emerge como um recurso alternativo face à atual carência da mão-de-obra, não descartando a rapidez de entrega e a qualidade dos produtos que caracterizam a indústria portuguesa.

«A nossa lógica é cada vez mais servir modelos de negócio em que a proximidade e a rapidez são importantes. É nisso que se inscreve esta proximidade e vamos procurar, naturalmente, ajudá-los a que tenham uma indústria e que nos prestem um serviço que seja adequado às nossas necessidades», explicou Paulo Vaz.

Os contornos deste entendimento serão delineados no decorrer do próximo ano, altura em que se prevê a implementação de projetos concretos nas diferentes áreas de atuação.

A par do convénio entre a ATP e a AMITH, o Citeve anunciou igualmente uma parceria com o Ministério da Indústria de Marrocos e a AMITH, para a construção de um centro tecnológico.

Braz Costa, diretor-geral do Citeve, referiu que o negócio teve por base condições extremamente interessantes para a organização e que o governo marroquino assumirá todo o investimento adjacente.

Salientando o aspeto comercial do contrato, Braz Costa apontou para as vantagens provenientes desta operação que se refletem na visibilidade internacional do centro tecnológico e na melhor compreensão dos mercados onde estes serviços são aplicados.

O Citeve possuirá uma quota de 51% do capital cujo investimento envolve apenas conhecimento, a restante parcela será diluída entre as instituições marroquinas.

«Só utilizaríamos a marca Citeve se tivéssemos maioria no capital, só utilizaríamos as nossas acreditações internacionais se tivéssemos a maioria no capital. Nunca poderíamos colocar fora do controlo coisas tão importantes como a marca e a credibilidade internacional do Citeve», afirmou o diretor-geral.

A próxima etapa será o memorando de entendimento, agendado para dia 5 de dezembro, que dará inicio ao plano composto por três fases e que se concretizará num período não inferior a quatro anos.

Olaf Schmidt e Karim Tazi

Karim Tazi, presidente da AMITH, destacou ainda a parceria realizada com a Messe Frankfurt, considerados «especialistas no mundo» e «líderes» na promoção de eventos. Esta aliança tem como principal objetivo elevar o setor têxtil marroquino a uma escala internacional e captar a atenção de mais participantes.

Olaf Schmidt, vice-presidente de têxteis e tecnologias têxteis da Messe Frankfurt, mencionou que o sector têxtil era o mais representativo da organização e destacou Marrocos como um grande player na Fast Fashion.

Portugal em Marraquexe

A edição da Maroc in Mode – Maroc Sourcing foi presenteada com a participação habitual da Cotex e com duas estreias nacionais que denunciaram a presença de Portugal em Marraquexe.

A Cotex não falhou à chamada e compareceu na feira internacional que representa já um dos mercados de exportação da empresa.

Nelson Cruz, administrador da produtora de rendas, reconheceu que Marrocos foi um mercado difícil de trabalhar devido à ausência de dados sobre as empresas mas, atualmente, garantiu que o esforço está a ser recompensado.

«Demorou algum tempo a ser feito e continua a ser feito, mas hoje podemos dizer que já estamos, de certa forma, numa base de conforto olhando a que já somos reconhecidos, já nos conhecem, conseguimos estar nas empresas mais importantes», acrescentou Nelson Cruz.

Pela primeira vez na feira, a empresa Infos e o projeto From Portugal registaram um balanço positivo assentes na expetativa de repetir a participação.

Em resumo dos dois dias do evento em Marraquexe, os resultados superaram as previsões (ver Tudo a postos na Maroc in Mode), assinalando a entrada de 1.779 visitantes – um aumento de 19% comparativamente com o ano anterior, sendo que 1.200 eram marroquinos e 759 de 21 países diferentes.