Início Notícias Moda

Medidas para combater as mudanças climáticas

Combater a poluição nas cadeias de aprovisionamento pode revolucionar a luta contra as mudanças climáticas, já que a indústria de moda é responsável por mais de metade das emissões globais de gases com efeito de estufa, revela um novo relatório do Fórum Económico Mundial e do Boston Consulting Group.

[©Pixabay]

Batizado “Net-Zero Challenge: The supply chain opportunity”, o documento mostra que a descarbonização nas cadeias de aprovisionamento é uma oportunidade para a ação climática corporativa. As emissões geradas ao longo das cadeias de aprovisionamento da maioria das indústrias ligadas ao consumidor podem superar em muito as emissões produzidas nas suas próprias operações.

De acordo com o estudo, abordar as emissões de escopo 3 (indiretas) é crucial para que as empresas consigam cumprir os compromissos nas mudanças climáticas, dado que os sectores direcionados para o consumidor podem usar a influência que têm nas cadeias de aprovisionamento para acelerar e promover a descarbonização e também pressionar os fornecedores de regiões onde os governos ainda não o fizeram.

A indústria de moda tem a terceira maior pegada de emissões, a seguir aos sectores alimentar e da construção, com 85% das emissões indiretas. O estudo aponta para que menos de 2% de todas as emissões do sector da moda possam ser reduzidas simplesmente através da reciclagem. Cerca de 15% podem ser diminuídas se os fornecedores forem pressionados a aumentar a eficiência dos processos, com a atualização de maquinaria, nomeadamente na fiação, tecelagem, tricotagem e confeção, que consuma menos energia, revela o relatório.

Simplesmente mudar a produção para fontes de energia renováveis permite descer mais 45%, tendo em conta que as emissões resultantes da produção têxtil e de vestuário são sobretudo geradas pelas elevada percentagem de utilização de energia derivada de combustíveis fósseis nos países produtores.

[©Pixabay]
Práticas de geração renovável de calor podem economizar mais 20% das emissões, assim como a mudança de processos de húmido para seco, que pouparia mais 10%, sugere o “Net-Zero Challenge: The supply chain opportunity”.

Mais 10% das emissões da indústria de moda, parte das quais provêm da agricultura, podem ser reduzidas com soluções de base natural, como cultivar algodão de forma mais sustentável. Os restantes cerca de 2% podem ser solucionados se os transportes deste sector optarem por utilizar combustíveis com baixas emissões de carbono.

Esforço conjunto

«Este relatório mostra como as empresas têm a oportunidade de causar um grande impacto na luta contra as mudanças climáticas ao descarbonizar as cadeias de aprovisionamento», afirma Dominic Waughray, diretor-geral do Boston Consulting Group, ao just-style.com. «A interação entre os governos e as empresas para aproveitar esta oportunidade é importante. Damos as boas-vindas a mais líderes para se juntarem e ajudarem a impulsionar esta agenda importante», acrescenta.

O estudo explica ainda que as empresas com contacto direto com o consumidor podem usar o seu poder de compra para acelerar a descarbonização e ajudar a financiar a transição, investindo juntamente com fornecedores de matérias-primas, que têm dificuldade em implementar a transição sozinhos.

[©Freepik]
«O argumento de que os custos são um grande obstáculo para reduzir as emissões está cada vez mais ultrapassado – cerca de 40% das emissões nas oito principais cadeias de aprovisionamento que analisámos podem ser eliminadas com medidas que trazem economia de custos ou têm custos inferiores a 10 euros por tonelada de equivalente de CO2», justifica Patrick Herhold, coautor do relatório e diretor-geral e sócio do Centre for Climate Action do BCG. «Aumentar a eficiência do processo e o uso de materiais reciclados, assim como comprar mais energia renovável proporciona às empresas grandes ganhos climáticos a custos muito baixos», realça.

Definir uma meta de redução ambiciosa nas emissões e anunciá-la publicamente é uma das medidas que o relatório descreve entre as ações principais para as empresas, assim como reformular produtos sustentáveis, construir uma diretriz para as de emissões da cadeia de valor e trocar dados com os fornecedores, projetar uma estratégia de aprovisionamento sustentável, implementar melhores práticas de rastreabilidade e certificação e cooperar com os fornecedores para analisar as emissões.