Início Notícias Mercados

Menopausa é mercado por explorar

Com as estimativas a apontarem para que mil milhões de mulheres atinjam a menopausa em 2025, o mercado do vestuário para esta etapa da vida está a crescer e marcas como a Become, da MAS Holding, estão a procurar capitalizar este segmento com tecnologias inovadoras.

[©Become]

Em 2017, a MAS Holding decidiu usar a sua tecnologia anti-afrontamentos para criar a sua própria marca para mulheres a atravessarem a menopausa. A iniciativa surpreendeu o mercado, já que a empresa sul-asiática é mais conhecida por ser produtora de vestuário para terceiros do que por deter marcas próprias, explica uma entrevista com a equipa de tecnologia centrada na mulher publicada no Just Style. Contudo, na altura, a menopausa era um tema tabu, pelo que a MAS Holding, que tinha desenvolvido tecnologia de vestuário que permitia aliviar sintomas como os afrontamentos, sentiu dificuldade em encontrar parceiros para lançar estes produtos no mercado.

«Sabíamos que tínhamos um ótimo produto, sabíamos que havia uma necessidade sem resposta de vestuário que ajudasse as mulheres a ultrapassar os afrontamentos, e sabíamos que tínhamos uma equipa apaixonada e desejosa de fazer a diferença», explica a diretora de estratégia e parcerias da divisão de tecnologia centrada na mulher, Tehani Renganathan.

A empresa lançou a marca no Reino Unido, que parecia mais avançado em termos de debate do tema, mas, considera a responsável de insight de consumidor desta área na MAS Holdings, Dharini Speldewinde, o espaço do vestuário com tecnologia pensado para mulheres permanece ainda pouco desenvolvido, uma vez que a saúde e o bem-estar feminino ainda não são vistos como uma prioridade. «Se olharmos para as estatísticas, apenas 4% do financiamento de investigação e desenvolvimento está direcionado para as necessidades de saúde e bem-estar das mulheres», destaca. Além disso, acrescenta, há pouca consciência em relação ao que o vestuário pode fazer pela saúde e bem-estar feminino. «Muitas pessoas não percebem quanto já se pode fazer para aliviar os diferentes sintomas que as mulheres experienciam durante todo o seu ciclo reprodutivo. A MAS tem mais de 35 anos de experiência na indústria do vestuário, por isso vimos a necessidade de entrar neste espaço e usar a nossa tecnologia para responder aos constrangimentos das mulheres», indica.

Um mercado em expansão

[©Become]
A Become tem atualmente cinco anos de atividade e a equipa da divisão de tecnologia centrada nas mulheres acredita que a maré está finalmente a mudar, já que tanto as consumidoras como a indústria de vestuário em geral estão atualmente mais abertas a falar sobre menopausa e vestuário que possa mitigar os sintomas associados – em Portugal, por exemplo, há já vestuário desenvolvido nesse sentido pela investigadora Filipa Fernandes.

Tehani Renganathan cita um artigo da Forbes de 2019 que aponta a menopausa como “a próxima área a ter em atenção” na tecnologia centrada nas mulheres, adiantando que cerca de mil milhões de mulheres estarão nessa fase de vida em 2025, o que equivale a 12% da população mundial. Como tal, acredita a diretora de estratégia e parcerias da divisão de tecnologia centrada na mulher, o potencial para que marcas de massas entrem neste espaço é óbvio e a necessidade é «inegável».

Atualmente, esclarece Dharini Speldewinde, há já muita inovação na área da maternidade e menstruação, incluindo ao nível do vestuário, mas na área da menopausa está apenas a começar, embora haja cada vez mais marcas dispostas a incluir soluções pensadas para a saúde reprodutiva das mulheres nas suas linhas. «Se se perceber verdadeiramente o que a consumidora final quer, o potencial é verdadeiramente infinito. É um mercado enorme que precisa de respostas», destaca.

Tecnologia para afrontamentos

A menopausa está muitas vezes associada a afrontamentos e o diretor de tecnologia desta divisão da MAS Holdings, Janith Dushyantha, explica que este é um sintoma único que consiste em três fases num período de cinco a sete minutos, que começa com uma sensação intensa de calor e, como tal, a pessoa começa a transpirar e sente depois arrepios.

[©Become]
A complexidade do sintoma significa que a tecnologia de vestuário anti-afrontamento tem de responder às três fases de uma forma independente. A tecnologia da MAS Holdings inclui um fio de arrefecimento que gere a sensação de calor e tem um acabamento de gestão da humidade que assegura que o suor é afastado da pele o mais rapidamente possível através da evaporação. A peça de vestuário tem igualmente um acabamento de regulação da temperatura que absorve algum do calor da primeira fase e que é libertado durante a última fase. A tecnologia para responder a afrontamentos, garante Janith Dushyantha, é pioneira no mundo e tem patentes tanto na Europa como nos EUA.

Desde o lançamento inicial, a MAS Holdings desenvolveu soluções para responder a outros sintomas da menopausa, em ligação direta com as consumidoras, o que levou ao lançamento da HydraDerma, a tecnologia da empresa para responder à maior secura da pele, e, mais recentemente, às cuecas superabsorventes para ajudar mulheres com os períodos com maior fluxo que surgem durante a menopausa, sendo que as mesmas podem igualmente ajudar na incontinência urinária.