Início Arquivo

Mercado alemão de roupa interior vale 613 milhões de contos

O sector de roupa interior alemão, nomeadamente feminino, apresenta uma dimensão à qual não é alheia a atracção das mulheres pelos soutiens e slips. Segundo um inquérito representativo, feito pela revista alemã Textilwirtschaft, encontram-se, em média, 20 slips, dez soutiens, nove camisas de noite e três bodies no guarda-roupa das mulheres alemãs. Estas gastam na totalidade cerca de 3,06 mil milhões de euros (613 milhões de contos) em roupa interior, traduzindo-se em cerca de 90 euros (18 contos) por mulher. Apesar do facto de darem muito importância à sua roupa interior, as mulheres alemãs não estão dispostas a gastar muito dinheiro. Em relação ao valor que estão dispostas a despender, em média, a resposta é 15,86 euros pelos soutiens e 7,16 euros pelos slips.
O inquérito revelou também que as mulheres alemãs gostam de diferentes modelos de roupa interior. A maioria das mulheres tem dois ou três tipos diferentes e usa-os em função da situação. Roupa interior prática e funcional é a favorita de 51% das mulheres inquiridas.
Comparando com os outros tipos de roupa, as marcas têm uma influência grande nas compras de roupa interior para as mulheres alemãs, já que 38% das clientes dizem que lhes dá garantias na decisão de compra. Quanto mais dinheiro as mulheres gastam com estas compras mais importante é a aquisição de produtos de marca e parece que a idade das clientes em nada influencia este aspecto. As marcas mais conhecidas na Alemanha são a Triumph e a Schiesser e 50% das mulheres inquiridas dizem que têm um ou mais produtos destas marcas no seu guarda-roupa. Seguem-se a Sloggi e a May, cada uma com 20%, a Esprit com 19% e a S.Oliver com 11%. No grupo das consumidoras mais jovens o cenário é diferente, uma vez que 45% das raparigas entre 14 e 29 anos dizem que têm soutiens, slips, bodies e camisas de noite da H&M. A Schiesser está em segundo lugar com 35% e a Esprit em terceiro lugar com 25%. Todavia, um nome conhecido não é suficiente para obter o interesse dos clientes. Todavia, é importante conciliar a imagem da marca com preços e canais de distribuição que vão de encontro às exigências das consumidoras.
Estas e outras informações relativas a este inquérito irão estar, a partir de Janeiro de 2002, disponíveis na secção de estudos do PortugalTextil.com.