Início Notícias Calçado

Micam desvenda tendências da estação quente

O certame internacional de calçado, com data marcada para setembro, em Itália, desvendou as tendências elaboradas pelo WGSN alusivas à primavera-verão 2021 que vão ser apresentadas na sua próxima edição.

[© Micam]

Apesar da organização ter cancelado aquela que seria a primeira edição da feira de calçado em Las Vegas, nos EUA, a tradicional versão em Itália mantém-se e a Fiera Milano Rho vai receber a Micam de 20 a 23 de setembro de 2020.

As tendências para o certame seguem as diretrizes do gabinete de tendências WGSN e dividem-se em três categorias, cada uma subdividida para o segmento de homem e senhora. HomeSpun, TransForm e GameScape são os títulos que compreendem as novidades para a estação quente do próximo ano, que vai trazer uma combinação do minimalismo rústico com os valores da tradição, esperança depois da crise e harmonização de opostos e, por último, uma viagem de volta aos jogos dos anos 80, com uma fusão entre o real e o virtual.

HomeSpun

Para o segmento feminino, a tendência HomeSpun aponta para uma nova forma de minimalismo rústico, com designs que destacam valores como o “slowness”, sustentabilidade e o artesanal, que valorizam o progresso lento num mundo cada vez mais acelerado. Esta linha de pensamento vai acelerar a reorientação do mercado à medida que os consumidores se tornam mais conscientes. Nesta categoria, os tons neutros estão em maioria, acompanhados por tons da natureza como o castanho, o verde e o azul e até mesmo o roxo desbotado. O vestuário de trabalho, tanto tradicional como agrícola, inspira um novo estilo bucólico. Para o calçado, a tónica está nos materiais naturais e num elevado nível de trabalho manual. Os detalhes em couro são uma característica.

Homespun Women [© Micam] 
Para o segmento de homem, pode esperar-se uma abordagem mais lenta relativamente ao mundo da moda, que vai reeducar a relação dos consumidores com o vestuário, salientando conceitos como o minimalismo, o vintage e a revenda que alteram e influenciam o ciclo de vida dos produtos. Os artigos vão ser constituídos por materiais «sofisticados» com um ajuste relaxado e detalhes utilitários, numa paleta, uma vez mais, com tons naturais suaves, inspirada na «aparência imperfeita» dos corantes orgânicos. Os modelos de calçado vão contar com vários elementos artesanais como metais trabalhados, técnicas complexas de tecelagem, bordados e decorações feitas à mão, o que vai atribuir aos artigos uma «qualidade única». Em silhuetas que prometem ser «harmoniosas», os modelos vão combinar várias tonalidades que vão desde os tons quentes aos frios, com um acabamento brilhante.

TransForm

Ao contrário da anterior, TransForm assenta numa abordagem modernista que alberga temáticas citadinas e marítimas, uma vez que esta categoria explora o design num momento de crise global que procura a saída desta situação. A maior aposta para o segmento feminino é um estilo totalmente preto com peles resistentes. Mesmo assim, perante esta narrativa mais sombria, também vai haver tecidos mais leves para os modelos mais minimalistas. O equilíbrio vai juntar-se ao otimismo numa paleta de tons escuros e claros, o que faz com que o contraste seja a palavra que melhor descreve a TransForm, que terá cores azuis e verdes, inspiradas no oceano, e também tonalidades de prateado que ilustram os metais preciosos. As solas grossas e «imperativas» vão continuar a ser uma tendência.

TransForm Men [© Micam] 
Para homem, TransForm rege-se por opostos, tal como as projeções para o futuro da humanidade podem abranger as suas boas e as más ações. Esta tendência «reconcilia a tecnologia com a natureza e equilibra a necessidade de luz com o fascínio pelo lado mais escuro da vida e da arte». Aqui serão aplicados materiais de sportswear que vão apresentar artigos «sofisticados, casuais e elegantes» que podem ser usados no quotidiano. As construções ultraleves são também uma das características desta tendência para a estação quente. Já as cores passam do claro para o escuro, da mesma forma que a temática e os modelos compreendem a passagem do artificial para o natural. Os tons do oceano combinados com um toque mais artificial vão resultar em tons como Quiet Wave e Tranquility Blue.

GameScape

GameScape, para o segmento feminino, combina elementos do passado, presente e futuro através de uma perspetiva virtual que vê o design digital a ganhar cada vez mais importância, em consequência das nossas vidas online e offline estarem cada vez mais próximas. Nesta categoria, as referências a videojogos e ao sportswear dos anos 80 são notórias e juntam-se para um novo conceito mais digital que pode ser usado para atualizar o estilo casual. Os tons «arrojados» da impressão offset pintam uma paleta austera de cinza e neutros, mas os verdes, os tons pasteis digitais e as cores vivas são igualmente essenciais. Os estampados florais e as impressões fotográficas voltam a ser tendência, assim como as cores florescentes no caso dos ténis.

GameScape Women [© Micam] 
Também na ótica digital, GameScape enaltece a importância do digital para o segmento masculino, que é cada vez mais relevante pela popularidade dos jogos, principalmente os relacionados com desportos. Os anos 80 têm uma grande influência para esta tendência, na medida em que foi nesta altura que surgiu a cultura digital, pelo que as cores vão ser saturadas e artificiais, pensadas para apelar a quem vê tanto no ecrã como na vida real. Para desvendar a mensagem #gamergraphics, é necessário jogar com as proporções e adicionar alguns slogans, o que reforça ainda a ideia de que o maximalismo é o conceito-chave desta tendência, como lhe fazem jus as cores «arrojadas».

Apesar da crise sem precedentes, a Fiera Milano Rho vai abrir portas ao certame, com o objetivo de relançar o sector e ajudar as empresas a recuperarem do impacto da pandemia.