Início Destaques

Mind abre as portas à inovação

No seu habitual Open Day, que desta vez se realizou em formato híbrido, a tecnológica portuguesa revelou várias soluções para a indústria de vestuário, que cada vez tem mais importância no seu negócio, com destaque para os equipamentos de corte Pattern Matching e Printed Cut que permitem maior rigor e poupança.

João Bernardo

As contingências da pandemia levaram a Mind a organizar o seu Open Day de forma diferente do habitual, combinando o evento presencial com uma transmissão online que, sob a batuta de Vítor Duarte, diretor da unidade de negócios de sistemas industriais, levou aos quatro cantos do planeta as novidades da tecnológica portuguesa.

«Não só tivemos um número muito significativo de inscrições de Portugal, com que já contávamos, mas um número também importante de inscrições por esse mundo fora», revelou, ao Portugal Têxtil, João Bernardo, CEO e um dos fundadores da Mind. O Open Day foi divulgado através da rede de distribuidores da empresa, que está presente desde os EUA à Ásia, passando pelo Brasil. «Acabámos por chegar a mais gente», reconheceu João Bernardo, admitindo que os parceiros de negócio «estão eles próprios a participar no evento, alguns deles trazendo potenciais clientes dos seus mercados locais», o que «tem sido uma experiência gratificante».

A atividade da empresa dispersa-se pelas tecnologias para as indústrias do calçado, artigos em pele, transportes, mobiliário e vestuário, sendo que esta última tem ganho protagonismo. «Quando lançámos a empresa considerámos como mercado-alvo o sector do calçado, porque era para esse sector que trazíamos os protótipos e os resultados da nossa investigação e durante muitos anos foi quase exclusivamente a nossa área de atuação», contou o CEO.

«Nos últimos três, quatro anos fomos diversificando a nossa oferta e adaptando-a a outros sectores, nomeadamente o sector da marroquinaria, o sector automóvel, mas também, e muito principalmente, o sector têxtil e da confeção. Aí percebemos que combinando os nossos produtos de software com a maquinaria de corte da Zünd, a empresa suíça com quem colaboramos, tínhamos soluções que a nível de automatização do corte nos permitiriam tornar muito competitivos face a outras grandes empresas que já estão no mercado nacional há décadas e que, aparentemente, tinham um monopólio do mercado», explicou João Bernardo. «Abre-se uma enorme oportunidade porque a Mind começou não a correr atrás das empresas instaladas, mas a correr um bocadinho à frente e felizmente temos conseguido manter essa vantagem competitiva. Acredito hoje, sem falsa modéstia, que a Mind combinada com a Zünd tem a oferta mais avançada no mercado mundial», afirmou.

Soluções diferenciadas

Os produtos da Mind para este sector apostam na diferenciação e a evolução do mercado – com a procura de séries mais pequenas e até da personalização – tem dado uma forte vantagem competitiva à Mind, acredita o CEO. «Os processos do corte começaram a mudar também e passaram dos cortes típicos de multicamada para os cortes de camada simples, caso que as nossas soluções cobrem muito bem», salientou.

Vítor Duarte

É o caso das soluções Pattern Matching e Printed Cut apresentadas durante este Open Day. Ambas respondem aos desafios de tornar os processos de corte mais automáticos e rápidos, usando o corte de camada simples com tecnologia de leitura de padrões que possibilita uma execução de corte mais precisa e o ajustamento automático das peças a cortar, com um elevado rigor do alinhamento face ao padrão, podendo ser usado tanto em tecido como em malha, como mostrou Vítor Duarte durante a apresentação. «A nossa solução é uma solução de corte automático em processo contínuo, em que com elevada rapidez e processos muito otimizados conseguimos fazer a captura e o reconhecimento de padrões e depois há um ajuste, aquilo que em linguagem mais técnica chamamos de nesting automático, em que colocámos os diversos componentes que fazem parte das peças de vestuário automaticamente nos sítios certos relativamente ao padrão», esclareceu o diretor da unidade de negócios de sistemas industriais, que aludiu ainda às mais-valias ao nível da sustentabilidade, uma vez que não é necessário a utilização de plástico ou papel, que é comum nos processos de corte multicamada.

Pattern Matching

As soluções têm sido adotadas por várias empresas da indústria de vestuário, como é o caso conhecido da Twintex, da Crialme e da Cordeiro Campos, entre outras. «Os nossos equipamentos tiveram uma recetividade enorme. Temos hoje em dia uma base de clientes que são empresas das mais conceituadas do mercado nesta área industrial e, exatamente porque são empresas que precisam de ser altamente competitivas – os mercados, como sabemos estão mais competitivos e concorrenciais – percecionaram enormes mais-valias nas nossas soluções, que lhes permitem lidar com produtos diferenciados com elevada qualidade, com elevada precisão de corte e com todos os parâmetros que mais valorizam, para que possam ser também empresas muito competitivas», adiantou Vítor Duarte ao Portugal Têxtil.

Os primeiros dados recolhidos pela Mind permitem contabilizar algumas das vantagens significativas. «Uma empresa com quem trabalhamos muito, que tem duas soluções nossas, e que trabalha para grandes marcas e faz fatos para homem, já reportou ganhos de poupança em termos de material entre 5% a 10% – entre a 5% a 10% em materiais extremamente caros pode ser muito dinheiro ao final do ano» sublinhou o diretor da unidade de negócios de sistemas industriais.

Novos desenvolvimentos em curso

As soluções MindCUT Pattern Matching e Printed Cut contribuíram para que o ano passado tenha sido um dos melhores para a Mind ao nível das vendas, «não só porque obviamente tínhamos a oferta certa, não só porque, como estou convencido, somos uma empresa de vanguarda em algumas soluções de corte mais avançadas, mas também porque determinadas empresas puderam beneficiar de ajudas que lhes permitiram adquirir equipamentos produtivos. Criou-se toda uma envolvente aqui que potenciou a aquisição de equipamentos produtivos e que, obviamente, nos beneficiou», justificou João Bernardo.

Printed Cut

Um percurso ascendente que a Mind pretende manter e reforçar, estando já a trabalhar em novos desenvolvimentos para além dos que apresentou neste Open Day, que se realizou a 22 de abril, onde além das soluções de corte já referidas exemplificou também o funcionamento de soluções de digitalização de peças e materiais e de personalização em massa, uma máquina de corte a laser e propostas mais orientadas para a flexibilização da produção na indústria de calçado.

«Já estamos, obviamente, a trabalhar em novas soluções, porque com a carteira de clientes já bastante rica que temos, não só em Portugal mas também noutros países, vamos recolhendo feedback muito importante e vamos tendo solicitações para criar rapidamente a segunda e a terceira geração destes mesmos produtos», garantiu João Bernardo.