Início Destaques

Moda avança para Moscovo

As portas da 26.ª edição da CPM – Collection Première Moscow abrem-se no próximo dia 23 de fevereiro para acolher cerca de 950 marcas internacionais de moda de homem, senhora e criança, desejosas de conquistar um mercado avaliado em mais de 21 mil milhões de euros.

Os números do Fashion Consulting Group confirmam que, apesar da queda de 20% em 2015, o valor do mercado russo de moda superou os 1,8 biliões de rublos (equivalente a 21,3 mil milhões de euros) no ano passado. É com o objetivo de ganhar parte deste mercado que estarão presentes na próxima edição da feira CPM – Collection Première Moscow, que se realiza de 23 a 26 de fevereiro, cerca de 950 marcas internacionais, incluindo nomes como Ada Gatti, Aigle, Geox, Marc Cain, Mayoral e Rinascimento.

Na cerimónia de abertura, os holofotes estarão voltados para o designer russo Igor Chapurin, presença habitual nos desfiles de pronto-a-vestir de Paris, que depois de ter aberto a sua primeira loja – Chapurin Couture Boutique – em Moscovo, em 1999, já lançou igualmente as linhas Chapurincasa e Chapurin Child Collection. «O meu credo criativo resume-se a apenas três palavras: simplicidade, harmonia e perfeição», afirma o designer.

Entre os pontos altos desta edição fazem ainda parte cerca de 40 desfiles de moda e a estreia da área “Handmade in Russia”, onde estarão participantes russos que criam acessórios feitos à mão, nomeadamente Marfa & Madonna, Razgulaev Blagonaroviva, Anna Slavutina e Zlata Peczokvska.

Christian Kasch, diretor de projeto da CPM, destaca também «o programa de seminários do Russian Fashion Retail Forum», que, afirma ao Portugal Têxtil, «é de elevada qualidade, com oradores bem conhecidos». O fórum, que se realiza desde 2008, tem como tema principal nesta edição “Meios eficientes para melhorar a gestão do retalho de moda”.

Os visitantes do certame – que em fevereiro de 2015 ultrapassaram os 16 mil – terão ainda a oportunidade de conhecer as tendências da CPM para o outono-inverno 2016/2017, divididas em três temas: Radical Rustic, Decadent Drama e Dolly Pop.

No primeiro o destaque vai para vestuário em matérias-primas em bruto, como lã e seda, direcionado para os «puristas de amanhã», como descreve a feira. Já em Decadent Drama, as influências vêm do estilo de rua casual e desportivo, mas com ingredientes como riqueza e opulência, dramatismo e romantismo, sensualidade e brilho. A inspiração vem do passado, de elementos históricos com um aspeto feminino mas onde pontuam traços masculinos nos materiais e nas combinações. Por último, Dolly Pop traz para o presente o glamour dos anos 60 e os looks a lembrar as bonecas Barbie, para resultados divertidos e coloridos.