Início Arquivo

Moda com curvas

As brasileiras com ancas largas e bustos grandes querem que a roupa se adeqúe às suas formas voluptuosas, afirmam os apologistas da moda de tamanhos grandes neste país mais conhecido pelos seus biquínis ousados. «Se vou a um centro comercial onde há 300 a 400 lojas, posso andar e andar e ainda assim não vou encontrar um vestido para o meu tamanho… É triste e aborrecido», explica Renata Poskus Vaz, uma jornalista que escreve um blogue sobre moda de tamanhos grandes. Embora metade da população tenha excesso de peso, as lojas brasileiras preferem ter roupa desenhada para corpos magros e em forma, abandonando muita da sua clientela com mais curvas que quer usar os estilos que vê em eventos como o São Paulo Fashion Week. Contudo, as lojas da especialidade onde as mulheres podem encontrar jeans de tamanhos grandes, vestidos de noite e até lingerie estão a surgir, ao mesmo tempo que blogues para mulheres voluptuosas também oferecem conselhos de estilo. «Actualmente no Brasil as mulheres ultrapassaram os preconceitos que as costumavam impedir de entrar numa loja de tamanhos grandes, que no passado eram consideradas lojas para os idosos e avós. Mas isso já não acontece», afirma Renata, que também fundou a Fashion Week Plus Size no Brasil. Este ano, o evento de São Paulo teve lugar em Julho e mostrou estilos para a Primavera-Verão 2012. Para Renata, de 29 anos, ex-modelo de tamanhos grandes, nem todas as mulheres que usam tamanhos grandes têm excesso de peso, mas muitas destas mulheres mais cheias têm problemas em encontrar roupa que lhes sirva. «A moda foi criada por padrões estéticos que não são os mesmos da “moda grande”. Mas, graças a Deus, há profissionais que se estão a adaptar a nós, mulheres fortes», explica Thalita Arruda, a jovem de 23 anos por detrás do blogue “Tamanho GG”. Sob este novo padrão, 10 marcas brasileiras especialistas em tamanhos grandes apresentaram as suas novas colecções para a próxima estação na quarta edição da Plus Size Fashion Week. Cerca de 40 modelos apresentaram estas criações feitas para se ajustarem a mulheres grandes, que mantêm linhas fantásticas e cores fortes. «As mulheres robustas ganharam o direito a se expressarem. Antes, usavam roupas monótonas», considera Iveraldo Junior, director de marketing da marca Exuberante. «Estamos a apresentar uma colecção que brinca com o mundo latino, com cores sensuais e movimento», acrescenta. «Hoje temos os mesmos estilos» que as mulheres magras, assegura a estilista da Melanine, Derly Miranda, acrescentando que mulheres «bem-dotadas» se aventuram em cortes e cores ousados. Débora Lima, uma bloguer de 21 anos do “Tamanho GG”, afirma que no estado de Pernambuco, uma região pobre do nordeste do país, onde vive, ainda é difícil encontrar roupas de tamanhos grandes, mas isso não a impede de experimentar novos visuais e de os partilhar com outras mulheres no blogue. «Vamos mostrar ao mundo que nós, as mulheres maiores, gordas ou não tão gordas, podemos vestir-nos bem e marcar a diferença», acrescenta.