Início Notícias Moda

Moda e indústria trocam alianças

As colaborações Nuno Baltazar + Sport Zone, Susana Bettencourt + Fifitex e Nair Xavier + Diniz & Cruz transformaram a passerelle e os bastidores da moda em altares, celebrando-se casamentos felizes entre a moda de autor e a indústria têxtil e vestuário.

Susana Bettencourt

As parcerias entre a moda de autor e a indústria não são novidade. Várias empresas de tecidos e malhas nacionais têm vindo a associar-se publicamente a designers e marcas. Por outro lado, vários criadores de moda têm vindo a ser recrutados para os gabinetes de design da indústria têxtil e vestuário, cada vez mais atenta ao valor agregado que a moda e o design aportam. No caso particular da Sport Zone, esta é já a terceira coleção desenvolvida em colaboração com um designer do calendário do Portugal Fashion.

Não obstante, as relações têm vindo a ser apuradas com o tempo, tal como a comunicação das mesmas para os diferentes públicos, como mostraram estas três trocas de alianças durante o Portugal Fashion e a ModaLisboa, no passado mês de outubro.

Nuno Baltazar + Sport Zone

Nos bastidores do desfile de Nuno Baltazar, integrado no calendário primavera-verão 2018 do Portugal Fashion, o designer anunciou a parceria estabelecida com a Sport Zone – a terceira, depois de Katty Xiomara e Miguel Vieira, que liga o Portugal Fashion à cadeia de lojas de desporto da Sonae –, para uma coleção athleisure, a primeira da Sport Zone.

Nuno Baltazar

«Começámos a ouvir mais os nossos clientes, a ouvir mais os pedidos e também por uma questão de tendência. Cada vez mais, o desporto começou a entrar no dia a dia das pessoas e a fazer parte da vida e não só parte do ginásio e achámos que o Nuno Baltazar seria um contributo fundamental para essa viragem, para fazermos uma coleção 100% athleisure», explicou, ao Portugal Têxtil, Marta Kadosh, responsável de relações públicas, ativação de marca e patrocínios da Sport Zone, sobre a coleção que irá incidir sobre o vestuário e incluir também alguns acessórios.

Assente numa estética retro sport, a parceria assume-se não só como uma nova abordagem ao guarda roupa de treino, mas também como um ponto de partida moderno e descontraído para os coordenados quotidianos.

Ainda envolvida em algum secretismo, Nuno Baltazar revelou apenas que se trata de uma coleção motivada pela «iconografia cinematográfica da década de 1980», com preços acessíveis, «que tem muito a ver com filmes em que a dança era muito forte».

A coleção Sport Zone + Nuno Baltazar powered by Portugal Fashion ficará “guardada” até finais de fevereiro de 2018, data em que as propostas serão apresentadas num momento exclusivo.

Susana Bettencourt + Fifitex

Susana Bettencourt, por sua vez, conseguiu estabelecer, também na última edição do Portugal Fashion, a parceria que há tanto tempo desejava – que lhe permite criar os coordenados desde o fio.

Susana Bettencourt

Os fios usados pela designer na coleção “Creative Resistance”, dedicada à primavera-verão 2018, foram desenvolvidos em exclusivo pela fiação SMBM, proprietária da marca de fios Fifitex.

«A Fifitex veio dar um valor acrescentado à minha marca. Sinto-me super lisonjeada porque, pela primeira vez na minha vida, consegui criar as minhas cores e o meu material desde a rama», afirmou Susana Bettencourt ao Portugal Têxtil. «Acho que a nossa moda nacional só vai para a frente quando cada vez mais empresas colaborarem com os designers», acrescentou.

Susana Bettencourt

Com mais de 50 anos de experiência acumulada, a SMBM mostrou estar perfeitamente alinhada com a criatividade, a inovação e a versatilidade de Susana Bettencourt, numa coleção que homenageou o legado de Amelia Earhart, a primeira mulher piloto a fazer um voo transatlântico, nos estampados das malhas.

«Dá para perceber que todas as inspirações são a comunicação e, como a minha irmã é piloto, tive aqui uma ajuda na parte das pistas e dos números e naquilo que simbolizam», revelou Susana Bettencourt.

Nair Xavier Diniz & Cruz

Na plataforma Lab da ModaLisboa, dedicada ao talento emergente, a jovem designer Nair Xavier – que já passou pelos gabinetes de design da indústria têxtil e vestuário, assumindo, especificamente, o design das coleções de alfaiataria da Dielmar –  apresentou uma coleção de alfaiataria urbana, que aliou o design irreverente à excelência de confeção do grupo Diniz & Cruz.

Nair Xavier

«A parceria surgiu devido às dificuldades que nós, jovens designers, encontramos ao apresentar coleções, sendo que temos pouco apoio por parte da indústria», apontou Nair Xavier, que havia interrompido os seus desfiles no calendário do certame.

Nair Xavier

Regressada, para a primavera-verão 2018, a jovem designer propôs uma reflexão sobre a ancestralidade, cruzando o legado do grupo revolucionário Black Panthers, na década de 1970, com a identidade da tribo Maasai.

«O grupo Diniz & Cruz fez a confeção, a parte da alfaiataria mais clássica, e eu fiz as peças mais modernas, como os macacões», esclareceu Nair Xavier. «No fundo, é disso que precisamos, que nos deem a oportunidade de fazer algo, porque precisamos da indústria e a indústria precisa dos designers e penso que esta parceria reflete um pouco isso», concluiu.