Início Arquivo

Moda em Tempo aposta no desporto

Moda em Tempo, uma empresa idealizada e concretizada por Agostinho Maia, Laurentino Costa e Paulo Guedes, figuras que se encontram há vários anos ligadas ao sector da comercialização de vestuário, tem como principal objectivo importar e comercializar artigos de vestuário e calçado, mas que, para iniciar a sua actividade, preferiu investir na área desportiva. Neste momento, tem como principais clientes nacionais o FCP, Benfica e Sporting. A Moda em Tempo, tornou-se numa nova empresa a atacar o sector de vestuário desportivo no nosso país. A empresa coloca ao dispor dos clientes todo o tipo de merchandising desportivo, desde os vários materiais insufláveis (bóias, colchões e articuláveis), até aos mais diversos materias de promoção (cachecóis, t-shirts, bonés, isqueiros, etc.). Segundo Agostinho Maia, a Moda em Tempo encontra-se a desenvolver um projecto de importação de artigos provenientes do Brasil, um mercado que, nas palavras do empresário «em termos do lançamento de moda inovadora e irreverente é, para já, imbatível». Dentre outros artigos escolhidos pela empresa destaca-se o vestuário destinado aos jovens desde jeans a biquinis. Mas, a empresa não vê o Brasil só como fonte de importação, mas também como um novo mercado para os seus produtos, principalmente de vestuário de homem para o segmento médio. Os fornecedores da Moda em Tempo situam-se no estrangeiro, principalmente devido ao facto «da esmagadora maioria das empresas nacionais de qualidade terem a sua produção comprada 100% por clientes estrangeiros, o que nos colocaria numa situação de demora em responder às necessidades dos nossos próprios clientes», afirma Agostinho Maia. Esta situação obriga a que a empresa tenha custos acrescidos no que diz respeito à necessidade de controlo da qualidade dos fornecimentos nos países de origem, controlo este que absorveu parte importante dos investimentos financeiros necessários ao lançamento da empresa. Fundada em finais de 2001, depois de dois anos de uma intensiva análise de mercado, Agostinho Maia afirma que a Moda em Tempo «tem todas as condições para, no final do presente exercício, atingir uma facturação próxima dos 3,7 milhões de euros», e tendo em conta este desenvolvimento a empresa poderá, num futuro próximo expandir-se para os outros ramos do negócio.