Início Notícias Marcas

Moda legaliza cannabis

Com a crescente legalização da droga, especialmente nos EUA, pode a cultura do cannabis entrar na esfera da moda do luxo? De acordo com o último desfile de Alexander Wang, a resposta é afirmativa.

Depois da peça com o logotipo da DHL, há uma nova t-shirt da Vêtements a conquistar o universo da moda. A peça em questão apresenta o rapper Snoop Dogg e é vendida por 924 dólares (aproximadamente 821 euros). Os fãs mais atentos depressa associaram o artigo da marca francesa a uma imagem que surgia entre o merchandising promocional do artista em 1993.

A par de uma longa série de sucessos e da inauguração da era G-funk do hip-hop, Snoop Dogg é também conhecido por outros motivos: a sua associação ao longo da carreira com o consumo de marijuana, analisa o portal de tendências WGSN.

Em solo americano, o uso recreativo de cannabis foi legalizado em Oregon, Colorado, no estado de Washington, Alasca e em Washington DC. Mais 20 estados já legalizaram o uso de marijuana medicinal. E, em estados como o Colorado, há mesmo boticários a trabalhar uma nova abordagem ao assunto.

O autointitulado boticário Silverpeak, no Colorado, tem como principal objetivo abordar a cannabis na perspetiva de um “connaisseur”, comparando a droga a um bom vinho. «Afasta-te Merlot. O cannabis chegou!», exclama o website da loja.

Empresas como a Marley Natural (gerida pela família de Bob Marley, é claro) também estão a tentar conciliar o passado da marijuana com o seu potencial de crescimento. Além dos acessórios minimais, como cachimbos, a Marley Natural vende infusões e produtos de beleza e publica uma revista de lifestyle.

O cannabis tem ainda uma longa associação com os estilos de vida associados à cultura streetwear. As meias estampadas com folhas de cannabis “Plantlife” da HUF tornaram-se uma espécie de postal da costa oeste dos EUA.

Já o fundador da Stüssy, Shawn Stüssy, inspirou-se em imagens rastafári e música reggae, assim como no movimento New Wave e na cena Punk, para o lançamento da conhecida marca de streetwear.

No mundo da moda, designers como Lucien Pellat-Finet têm frequentemente recorrido ao motivo da folha de cannabis. Jeremy Scott incluiu um estampado relativo numa das suas coleções em parceria com a Adidas. E a Pax, empresa sediada em San Francisco conhecida pelos seus vaporizadores minimalistas, tem vindo a conquistar espaço na indústria da moda desde o ano passado, colaborando com a retalhista de moda masculina Odin durante a semana de moda num produto exclusivo e encontrando espaço em lojas como a Opening Ceremony e a American Rag.

A Pax colaborou também com o cantor The Weeknd num vaporizador customizado para a tour “The Madness”. É vendido por 279 dólares (aproximadamente 248 euros).

Também Alexander Wang (pós-Balenciaga), reconhecido pelo seu contributo para a cena do streetwear de luxo, foi mais longe na última temporada de moda. A coleção apresentada na igreja St. Bartholomew foi o mais profana possível com coordenados estampados com motivos de folhas de marijuana (ver Ato de rebeldia).

Não é nenhum segredo que várias celebridades proeminentes gostam de experimentar novos patamares de descontração. Rihanna, Miley Cyrus – que nos figurinos da tour “Bangerz” apoiou o consumo de marijuana (ver Ao ritmo da moda) – Kanye West e A$AP Rocky falam abertamente sobre fumar marijuana, chegando mesmo a fazê-lo em público ou no palco. E, à medida que a cultura da cannabis começa a assumir-se mainstream, torna-se natural para alguns dos seus participantes querer elevá-la ao próximo nível.

Dispositivos cuidadosamente concebidos juntamente uma base crescente de consumidores informados sobre o consumo de cannabis são apenas os primeiros passos. Infusões, artigos de moda que prestam homenagem à cultura e a mobilização de celebridades podem ajudar a melhorar o estigma de longa data. Contudo, até agora, a ideia do cannabis como um produto inspirador e estilo de vida desejado continuam a pertencer a um grupo (mais ou menos) restrito.