Início Arquivo

Moda mais pobre

O estilista francês Ted Lapidus, que alcançou a fama nos anos 1960 e 1970 com a criação de moda unissexo e com a implementação do look safari – um estilo que ganhou popularidade um pouco por todo o mundo e que actualmente continua a estar em voga – morreu no passado dia 29 de Dezembro, aos 79 anos, no hospital de Cannes, no Sul da França. Célebre por ter democratizado a elegância francesa, Lapidus – filho de pai era russo emigrante em França – foi, durante décadas, um dos maiores nomes da moda francesa, tendo ficado famoso tanto pela sua linha de alta-costura como pelas suas colecções de prêt-à-porter. «A morte, por insuficiência respiratória, aconteceu às 14h30 locais. Ted Lapidus sofria há alguns anos de leucemia», declarou Rose Torrente-Mett, irmã do criador e também estilista de profissão. Ted Lapidus, nasceu no dia 23 de Junho de 1929 em Paris e estudou engenharia em Tóquio, no Japão. Abriu a sua primeira loja na capital francesa em 1958, onde vendia roupas desenhadas com grande apuro técnico, tendo Annabelle Buffet como uma de suas primeiras modelos. Nos anos 70, uma das maiores divulgadoras do trabalho do criador francês foi a actriz Brigitte Bardot. Nessa década, o estilista decidiu diversificar a sua área de actuação lançando perfumes em colaboração com a L’Oréal. «Ted foi o primeiro costureiro da “nouvelle vague”, o mundo inteiro conhecia-o e revolucionou definitivamente a moda», salientou Rose Torrente-Met, acrescentando ainda que, «Ted só não teve sorte de encontrar o seu Pierre Bergé – co-fundador da marca Yves Saint Laurent – para chegar ainda mais longe». Isto porque, aos 53 anos, em 1982, o costureiro passou o comando da sua marca – fundada em 1951 – ao filho Olivier, numa tentativa de solucionar o problema criado pela existência de "dois Lapidus" no mundo da moda parisiense. Uma altura complicada para o estilista, devido aos vários conflitos que o opuseram ao seu filho, mas que no final levou a uma sucessão feliz e bem resolvida. «Não discutimos realmente. Tivemos problemas ligados à presença de dois Lapidus na moda, mas sempre nos amamos e esta noite sou um filho que chora pela morte do seu pai, que era um grande estilista», concluiu Olivier.