Início Notícias Tendências

Moda portuguesa antecipa estação fria

Depois das passerelles internacionais, foi a vez dos criadores de moda nacionais desfilarem as suas propostas para o outono-inverno 2019/2020, que se antevê colorido e volumoso, com pinceladas de sportswear.

Maria Gambina

Após Nova Iorque, Londres, Milão e Paris, em território nacional, como habitual, os desfiles dividiram-se entre o norte e sul do país. O arranque deu-se na capital, onde 31 coleções foram apresentadas na 52ª edição da ModaLisboa, para, logo no fim de semana seguinte, 33 coleções de se apresentarem na Invicta, para a 44ª edição do Portugal Fashion, ainda que algumas das propostas já tivessem passado por certames internacionais.

Explosão de cor

Carlos Gil

As cores vibrantes, como o vermelho, rosa, amarelo-torrado ou azul petróleo, absorvidas das paletas de mestres como Mondrian e Kandinsky foram a aposta do veterano Carlos Gil, que se apresentou em Lisboa no âmbito do acordo  celebrado entre as duas entidades. «Há uma harmonia muito grande a nível cromático, e isso é visível ao longo do desfile. É muito colorida. Este inverno vai ser um colorido», afirma ao Portugal Têxtil.

Também veterana, Maria Gambina apostou, no calendário do Portugal Fashion, no bordeaux, amarelo-torrado e vermelho luminoso. Igualmente na invicta, Carla Pontes teve na cor um dos elementos que mais saltou à vista na sua coleção, em coordenados maioritariamente monocromáticos, em azul e vermelho.

Jogo de xadrez

Os axadrezados vão continuar a marcar presença no outono-inverno 2019/2020, de acordo com David Catalán, Luís Carvalho, a dupla Alves/Gonçalves, Gonçalo Peixoto e Alexandra Moura. Os fatos com padrão axadrezado dominaram a coleção masculina de David Catalán, bem como os casacos e calças de Alexandra Moura, ambas as coleções apresentadas no Portugal Fashion.

O xadrez retirado das imagens do artista Matthieu Bourel deu vida a vestidos e fatos de Luís Carvalho, na coleção apresentada em Lisboa.

Alexandra Moura
Gonçalo Peixoto

Flores o ano todo

Porque nem só a primavera é feita de flores, Gonçalo Peixoto, Dino Alves e Constança Entrudo fizeram questão de colorir os dias normalmente mais escuros de outono/inverno.

Em Lisboa, tanto para Gonçalo Peixoto como para Constança Entrudo, o padrão florido marcou presença tanto em casacos acolchoados como em vestidos. Para Dino Alves, as flores chegaram também às blusas.

O poder do XXL

Alves/Gonçalves

Ombros exagerados, saias volumosas e até chapéus XXL definiram as silhuetas de criadores de moda como Dino Alves, Diogo Miranda, David Ferreira, Gonçalo Peixoto e da dupla Alves/Gonçalves. «O que fiz foi pegar em clássicos, como, por exemplo, o blazer da coleção, e, depois, adicionar um XXL para conferir um ar de modernidade», explica Gonçalo Peixoto ao Portugal Têxtil.

As mangas exageradas e volumosas de Dino Alves e de Diogo Miranda, bem como os ombros explosivos em blusões acolchoados com mangas balão da dupla Alves/Gonçalves provam que, no outono-inverno 2019/2020, mais é mais.

Conforto e descontração

Fosse no Portugal Fashion com David Catalán ou na ModaLisboa com Andrew Coimbra, Nycole, Duarte e Imauve, deram-se provas que o conforto e descontração do sportswear estarão presentes no quotidiano da estação fria, surgindo em peças como casacos encapuzados. «Conjugámos o luxo e o desporto, com bons acabamentos, com uma vibração desportiva e descontraída para usar no dia-a-dia», aponta Ana Duarte, detentora da marca Duarte.

Andrew Coimbra