Início Notícias Vestuário

Modatex dá formação para camisola poveira

Em parceria com a Patripove - Associação de Defesa e Consolidação do Património Poveiro, o Modatex está a organizar workshops e ações de formação em tricotagem da camisola tradicional poveira. Uma iniciativa que começou a ser pensada em janeiro e que terá a sua estreia a 20 de setembro.

Odete Costa e José Manuel Castro [©Modatex]

As duas entidades estabeleceram um protocolo para preservar a técnica de tricotagem da camisola poveira, um passo «essencial para a manutenção da tradição do fabrico deste ícone da Póvoa de Varzim e da história etnográfica de Portugal», salienta o Modatex em comunicado.

Originalmente fabricada em lã branca de fio grosso, da região da Serra da Estrela, denominada “lã poveira”, a camisola tradicional é decorada a ponto de cruz, em preto ou vermelho, com motivos como o escudo nacional, a coroa real, siglas poveiras e objetos marítimos. «É uma peça que remonta à primeira metade do século XIX e que fazia parte do traje masculino de romaria e festa do pescador. Este era usado em momentos sociais mais solenes e considerado uma peça de distinção no seio da comunidade piscatória», refere o Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confeção e Lanifícios.

Em março, a camisola poveira saltou para as páginas dos jornais devido à polémica com a marca Tory Burch, que colocou à venda exemplares semelhantes alegando inspiração mexicana. «Um erro», como assumiu a designer americana na sua conta de Twitter, onde garantiu estar a trabalhar com a autarquia da Póvoa de Varzim para apoiar os artesãos locais.

[©Modatex]
«Quando em 6 de janeiro de 2021 a Patripove iniciou todo o processo para ações de formação em tricotagem da camisola tradicional poveira no Modatex, estava longe de imaginar a polémica», assume Odete Costa, presidente da Patripove, no Facebook da organização sem fins lucrativos. «Mesmo com a inesperada polémica surgida meses depois (em finais de março/estilista americana Tory Burch), [as pessoas envolvidas neste projeto] foram capazes de manter a serenidade e não desviar as atenções do essencial: a defesa, consolidação e promoção da camisola tradicional poveira. Sem aproveitamentos e com estratégia – durante meses e em silêncio – foi preparado um curso de tricotagem ao mais alto nível», salienta.

Arranque em setembro

A primeira ação de formação começa a 20 de setembro, no Modatex Porto, e tem uma duração de 125 horas, até 31 de janeiro de 2022, com horário pós-laboral, das 19h às 22h, às segundas, quartas e sextas.

O curso, que é dirigido a ativos empregados ou desempregados com interesse nesta técnica artesanal de tricot e em bordado de ponto de cruz, com mais de 18 anos e 9.º ano de escolaridade, tem as inscrições abertas até 11 de setembro.

[©Modatex]
No mês de setembro deverão ainda ser realizados vários workshops para os formandos dos cursos do Modatex sobre esta técnica artesanal.

«A produção da camisola tradicional poveira obedece a uma técnica artesanal, que o Modatex pretende preservar e promover em diversas ações de formação, onde serão também aprofundados os conhecimentos históricos e técnicos que serão consolidados com o fabrico de uma camisola tradicional poveira por cada formando», resume o centro de formação.