Início Notícias Têxtil

Modatex possibilita estágios internacionais

No âmbito do programa Erasmus+, o Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confeção e Lanifícios, que está a comemorar 10 anos de atividade, tem agora a possibilidade de oferecer aos formandos dos Cursos de Aprendizagem uma experiência internacional, num local de trabalho ou noutra instituição de ensino.

[©Modatex]

Os estágios previstos neste âmbito podem ter uma duração de duas semanas a doze meses e serão comparticipados, com um apoio financeiro destinado a cobrir as despesas de viagem e de subsistência dos participantes durante a sua estadia no estrangeiro.

Cada formando será acolhido num local de trabalho ou noutra instituição de ensino e formação profissional, realizando períodos de aprendizagem em contexto laboral enquanto parte integrante dos seus estudos, indica o comunicado do Modatex.

Os Cursos de Aprendizagem são dirigidos a jovens com idade inferior a 25 anos e com habilitações ao nível do 9º ano de escolaridade ou superior, mas sem conclusão do ensino secundário, integrando uma forte componente prática realizada em contexto de empresa. Estes cursos permitem obter uma certificação escolar e profissional, proporcionando a inserção imediata no mercado de trabalho ou a possibilidade de prosseguir os estudos superiores. Entre a oferta do Modatex de cursos neste domínio está modelista de vestuário e técnico(a) de comunicação e serviço digital, com início programado para setembro.

«A articulação do Modatex com o programa Erasmus+ é um enorme incentivo para os jovens que têm agora a possibilidade de, ao longo da sua formação, terem uma experiência internacional, que lhes proporcionará contacto próximo com outras realidades formativas, culturais e sociais, fator que é sempre muito relevante quer em termos de empregabilidade futura, quer do desenvolvimento de competências pessoais», afirma José Manuel Castro, diretor executivo do Modatex.

O programa Erasmus+, que apoia estágios no estrangeiro para formandos atualmente matriculados no ensino e formação profissionais ou oriundos de cursos terminados há menos de um ano, «vem abrir um novo leque de oportunidades, reforçando a atratividade do Modatex, sobretudo junto dos mais jovens», salienta o comunicado do centro de formação profissional.

10 anos de Modatex

Reunindo as competências anteriormente distribuídas pelos extintos centros de formação profissional Citex, Civec e Cilan, o Modatex foi criado há 10 anos com o objetivo de ser a referência na formação técnica para a indústria têxtil e vestuário.

José Manuel Castro [©Modatex]
«Naquele primeiro dia inaugural, a frase que ficou foi aquela em que eu referia que a vida é sempre uma sucessão de recomeços. E, de facto, 10 anos depois estamos a recomeçar», sustenta José Manuel Castro numa mensagem em vídeo publicada ontem, 1 de julho, nas redes sociais do Modatex. «Não da mesma forma, de uma forma completamente diferente, modernizada, diria eu, mas ainda muito marcados por esta pandemia», clarifica.

Destacando as «coisas inovadoras» que o centro formativo foi obrigado a fazer no último ano e meio, o diretor-executivo assume ter «a expectativa que os próximos tempos nos permitam retomar, de uma forma mais intencional e ainda mais focada, o que é o projeto Modatex». Propor uma nova estrutura de gestão das pessoas, propor um novo quadro de enquadramento das carreiras e em termos salariais e investir progressivamente na inovação e na mudança são algumas das metas traçadas pela direção do Modatex para o futuro, aponta, mas «todos contamos com o desafio que vai ser este retomar da atividade, quer do sector, quer das novas formas que o sector nos vai propor e considerar, quer das inovações para as quais eventualmente ainda nos estamos a preparar», conclui José Manuel Castro.