Início Notícias Têxtil

Molaflex: do sonho à realidade

A produtora de colchões cresceu com o objetivo de proporcionar o melhor descanso a todos. Ao longo dos seus 66 anos, a Molaflex não só tem procurado realizar o seu sonho, mas também contribuído para melhorar a qualidade dos sonhos de quem se deita nos seus colchões.

Pioneira na indústria dos colchões, a Molaflex foi a primeira fábrica de colchões em Portugal. «Fruto disso estabeleceu-se um conjunto de empresas que se foram criando à volta da Molaflex, como por exemplo a Flexitex (ver Flexitex no domínio do jacquard) que nasce deste conglomerado de indústrias da Molaflex», explicou Victor Marinheiro, diretor-geral da empresa.

Sediada em S. João da Madeira, a Molaflex desempenha um papel central no crescimento da economia local e nacional, fomentando a criação de uma indústria paralela, nomeadamente, no sector automóvel. Apesar de ser especializada em colchões, a empresa começou desde cedo a desenvolver soluções para os interiores de comboios, expandindo a oferta para os automóveis.

Líder no mercado nacional, a distribuição dos artigos de conforto destina-se, essencialmente, aos segmentos do lar (60%) e da hotelaria (30%). No entanto, são os países estrangeiros que ocupam a maior quota do volume de negócios da Molaflex (60%), que está presente em Espanha, Inglaterra, Brasil, Chile e Cuba, através da parceria com a marca Flex.

A empresa produz anualmente 300 mil colchões, o que representa uma produção de 1.250 colchões por dia. As instalações abarcam todos os processos de produção desde a receção das matérias-primas, consumidas praticamente de imediato, até à transformação e incorporação de todos os componentes.

Victor Marinheiro sublinhou a importância de manter os fornecedores próximos devido ao consumo diário das matérias-primas. Os artigos volumosos não permitem uma rentabilização eficiente do espaço, tornando difícil a criação de stocks. Desta forma, o aprovisionamento dos materiais é sobretudo realizado junto de fornecedores nacionais (95%).

Com uma faturação a apontar para os 30 milhões anuais, a Molaflex emprega diretamente 350 funcionários. Indiretamente, reconheceu o diretor-geral, exerce «um efeito multiplicador elevado em todas as indústrias, riqueza que geramos à nossa volta».

Na visita realizada às instalações da produtora de colchões, a propósito da integração de três empresas regionais no roteiro de turismo industrial, organizado Câmara Municipal de S. João da Madeira (ver Novo trio de ataque no turismo industrial), Victor Marinheiro incitou os dirigentes do município a fazerem esforços no sentido de se captarem mais jovens para a região face à carência de mão de obra atual.