Início Notícias Moda

Momad avança para ajudar o sector da moda

De 18 a 20 de setembro, a feira madrilena consagrada ao vestuário e calçado estará de regresso para um «evento especial» focado em apoiar a recuperação da indústria da moda, depois do impacto causado pela pandemia.

A feira de moda, que costuma reunir, em Madrid, cerca de 800 marcas espanholas e internacionais, numa área de cerca de 40 mil metros quadrados, vai desta vez adaptar o evento às circunstâncias sem precedentes vividas atualmente, tal como a situação exige.

A próxima edição da Momad, com novas datas para setembro, vai alocar-se no Hall 6 da Ifema em Madrid e pretende ser uma forma de reavivar a indústria da moda, que sofreu um impacto significativo subjacente a vários fatores, como o encerramento de lojas e o cancelamento ou adiamento de produções.   

De acordo com o comunicado, a Momad está a dar um passo à frente não só por ter como foco a recuperação do sector e da economia, mas também pelo facto de ter preparado um formato com duas vertentes, que alberga tanta a exposição física das coleções que vão antever as tendências da estação como um marketplace criado para facilitar o comércio digital.

Julia González

O «evento especial» combinará, deste modo, duas formas de negócio correspondentes ao novo formato híbrido da feira, que soma o digital ao tradicional. «A Momad está, portanto, a utilizar todos os recursos para que a feira possa apoiar o sector com o novo formato híbrido», destaca a organização.

«A Momad será concretizada com um objetivo fundamental: apoiar o sector neste momento vital tão importante para o progresso da indústria. É por isso que a Momad está a dar um passo à frente», afirma Julia González, diretora do certame.

Segurança ininterrupta

Antes do regresso à atividade previsto para setembro, a Ifema garante reforçar todos os protocolos e tecnologia avançada de segurança, para que o centro de exposições madrileno seja um espaço seguro que certifica as devidas medidas de prevenção e proteção que estão a ser exploradas pela Unidade de Controlo de Segurança e Saúde (UCS). Para a organização, uma das principais preocupações é assegurar as devidas condições para receber os expositores, visitantes, fornecedores e funcionários em segurança e de acordo com as normas das autoridades competentes.

Entre as medidas constam sistemas de verificação de temperatura corporal e estado de saúde, serviços de primeiros socorros e cuidados médicos à disposição com emergências e unidades especializadas em imunologia e epidemiologia. Foram também estabelecidos protocolos para supervisionar a frequência, intensidade e qualidade dos processos de limpeza assim como a desinfeção de resíduos em todas as áreas das instalações quer sejam exteriores ou interiores.

Os dispensadores de desinfeção vão estar espalhados em pontos estratégicos dos locais de passagem e a comunicação das medidas de segurança e higienização serão também asseguradas. No que diz respeito à mobilidade, as chegadas e partidas da feira vão ser sujeitas a uma supervisão, afiançando mesmo assim conexões ininterruptas em todos os serviços de transporte.

Apesar de todos os protocolos de segurança a seguir, a organização da Momad está já a preparar uma estrutura para evitar fluxos de entradas e saídas da feira, de forma a evitar filas de espera e a concentração de pessoas.