Início Notícias Vestuário

Momad Metrópolis em crescimento

A feira madrilena registou um aumento no número de visitantes, sobretudo internacionais, e tirou a “prova dos nove” em relação ao conceito monotemático, apenas dedicado ao vestuário e acessórios, com 900 marcas a revelarem as coleções para o outono-inverno 2017/2018.

Na terceira edição a solo, a Momad Metrópolis garantiu um aumento de 10% dos visitantes em comparação com a edição de fevereiro de 2016, atraindo cerca de 15 mil profissionais à Feria de Madrid, 1.700 dos quais internacionais. De acordo com a organização, a cargo da Ifema, Portugal, França e Itália foram os países mais representados entre os visitantes. «A presença de profissionais da América Latina, uma área-alvo para o programa de compradores, foi igualmente visível, assim como a retoma em compradores da Rússia e das Repúblicas do Báltico», destaca a Ifema.

Entre as 900 marcas presentes, entre as quais destacaram-se os 36 expositores portugueses, estiveram lado a lado repetentes, como a Vigallo – que venceu o prémio para melhor stand nesta edição –, Javier Simorra, Alba Conde, Morgana, Oky Coky, Escorpión, Strena, Coronel Tapioca, Matilde Cano e The Extreme Collection, e estreantes como a Gloor, Vila Clothes, Freequent, Dina & Dess, Panamá Hats, Zenia e Privata.

«Notamos um maior fluxo de visitantes e mais entusiasmo nos compradores a confirmar as encomendas a curto prazo», afirmou Nora Aparacio, diretora da Slow Clothes, que se mostrou satisfeita com a forma como decorreu a feira. Opinião semelhante manifestou Gloria Orellana, vendedora da Gloor. Alberto Madroño, que lidera a empresa Suela, que esteve na feira pela primeira vez, indicou que a Momad Metrópolis mais do que superou as suas expectativas, ao passo que José Gil de Montes, proprietário da empresa Miusa, considera que «a realização em paralelo com outros eventos, como a Bisutex e a Intergift, foi muito atrativo e acrescentou valor à feira».

A feira, que se realizou de 3 a 5 de fevereiro, estreou nesta edição uma área dedicada à moda sustentável, animada por diversas atividades e com a presença de empresas como a Slow Clothes, Puntoamano, Pamukkaleworld, Lofs, The Pez, Veganized, Skunfunk e Bricoshoe.

As atividades paralelas incluíram ainda conferências sobre novas estratégias de marketing e os desafios que se avizinham para a indústria têxtil e vestuário, assim como com a segunda edição do Momad Fashion Lab, que analisou a performance das vendas de moda multicanal em Espanha.