Início Arquivo

M&S regressa a França

Após ter encerrado as suas lojas em Portugal, Espanha, França e Benelux, o retalhista britânico Marks&Spencer (M&S) volta a atravessar o canal da Mancha e instalar-se na Europa Ocidental. A notícia foi já oficialmente anunciada pelo CEO Mark Bolland no passado dia 1 de Abril. Bolland assinalou que a retirada da insígnia destes países foi, na altura, justificada por uma nova estratégia da empresa, com base na rentabilidade. «Regressamos em grande à França, com uma estratégia global de implementação e não apenas com uma única loja de teste. A nossa estratégia baseia-se nomeadamente numa flagship parisiense em associação com um site de vendas on-line, o primeiro em termos internacionais. Ambos lançamentos estão previstos para Novembro», revelou o CEO da M&S. «Temos uma taxa de notoriedade em França superior a 70%. Os consumidores franceses mostram-se bastante atraídos pela Internet e a proximidade geográfica facilitará as entregas», acrescentou Bolland. Deste modo, a Marks & Spencer vai também disponibilizar aos seus clientes franceses uma loja on-line, com preços em euros, que tem o objectivo de duplicar o negócio da empresa na Internet até 2013. O grupo britânico encerrou o seu último exercício com vendas on-line que ascenderam aos 413 milhões de libras (489,6 milhões de euros). O local escolhido para a abertura da loja física da M&S em Paris foi os emblemáticos Campos Elíseos. Trata-se, deste modo, da primeira iniciativa do retalhista nos últimos 10 anos, ao longo dos quais se concentrou sobretudo no seu crescimento no Médio Oriente e na Ásia, assim como no seu país de origem, o Reino Unido. A nova loja, que acolhia anteriormente a marca Esprit, apresenta uma superfície de 1.400 metros quadrados e no seu interior oferecerá artigos de moda para homem e senhora, assim como produtos de alimentação. O objectivo da Marks & Spencer é, dentro de 3 a 4 anos, alargar a sua rede de lojas na região parisiense. As flagships deverão ter uma superfície entre 2 e 4 mil metros quadrados e ser instaladas em centros comerciais. «Estamos em conversações mais seremos muito selectivos. A nossa estratégia em França é similar à aplicada na China. No Império do Meio, concentrámo-nos em Xangai antes de estender o desenvolvimento a outras cidades», explicou Marc Bolland. A M&A conta actualmente com 1.055 lojas, sendo que 697 das mesmas encontram-se no Reino Unido. De igual forma, a empresa emprega mais de 76 mil empregados. Recorde-se que o encerramento das suas lojas na Europa Ocidental provocou, na altura, uma enorme onda de protestos por parte de governos, sindicatos e funcionários.