Início Arquivo

Mulher recupera nos EUA

Pela primeira vez em vários anos, o mercado norte-americano de vestuário feminino recuperou o ímpeto perdido em relação ao segmento masculino, com um crescimento de 1% no ano passado, atingindo os 47 mil milhões de dólares. Os aumentos de vendas foram impulsionados pelo vestuário de preço mais elevado, com a venda de vestuário de preço intermédio a crescer 5%, enquanto o volume unitário caiu 2%. Embora tenha havido um crescimento em quatro das cinco principais categorias de produtos de moda feminina, nomeadamente: camisas de malha, vestidos, jeans e camisas de tecido, duas categorias destacaram-se com crescimentos de dois dígitos em 2012: os vestidos, com uma subida anual de 11%, e os jeans, que também cresceram 11%. Segundo Marshal Cohen, analista principal do sector no NPD Group, tal resulta do facto de «as mulheres usarem mais vestidos nos fins de semana como vestuário casual e jeans durante a semana de trabalho, o que ajudou a impulsionar as vendas de jeans». Os pontos de venda que mais beneficiaram com a venda de vestidos e jeans foram os grandes armazéns, que registaram um aumento anual de 11% na categoria de vestidos, e as lojas especializadas, que venderam mais 19% na categoria de jeans. «Estes resultados por canal demonstram que as mulheres estão dispostas a fazer compras em lojas de gama alta que respondam às suas necessidades e preferências individuais», justifica Cohen. «Os resultados também mostram que as mulheres estão a investir nos seus guarda-roupas, comprando menos quantidade, gastando mais e com o objetivo de que a sua roupa seja mais versátil», acrescenta. Em 2012, apesar das mulheres fazerem menos visitas a lojas físicas e on-line para comprar vestuário – indicador que registou uma queda de 6% em relação ao ano anterior -, os websites arrecadaram 14,3 mil milhões de dólares em vendas, um aumento de 13% em relação ao ano transato. Cohen considera que «com menos rendimentos disponíveis, as mulheres são mais seletivas nas suas compras, por isso os retalhistas devem efetivamente tentar captar a sua atenção». As perspetivas de Cohen para este ano permanecem positivas: «Estou muito otimista sobre o que está a acontecer em relação aos gastos das mulheres. Há muita procura reprimida. As mulheres precisam de atualizar os seus guarda-roupas. Há uma série de mudanças de tendências de estilo. Elas não estão a comprar muita coisa de uma só vez. Elas estão a avaliar cada compra, mas estão a construir o guarda-roupa», conclui.