Início Notícias Têxtil

Munich Fabric Start, a primeira abertura

A feira internacional de tecidos confirmou a abertura de portas de 1 a 3 de setembro, considerando que a realização física deste tipo de certames «é um passo importante» para «reiniciar o sector», também ele confinado pela atual pandemia de Covid-19.

«O nosso objetivo é conseguirmos organizar a Munich Fabric Start de 1 a 3 de setembro, seguida pela View Premium Selection de 8 a 9 de dezembro. Seguindo, obviamente, as precauções necessárias que incluem medidas de higiene bem como a orientação controlada de visitantes e as regras de distância mínima no local. Juntamente com vários especialistas, estamos a trabalhar num plano por etapas com recomendações específicas para a implementação das feiras, que têm de ter em conta os regulamentos oficiais», tinha já afirmado Frank Junker, diretor criativo da Munich Fabric Start (MFS), quando anunciou o cancelamento do VIEW Premium Selection, que se deveria realizar de 14 a 15 de julho.

Deste modo, o objetivo será cumprido e a edição da feira de tecidos alemã, ao contrário do certame preview, vai abrir portas durante os três primeiros dias de setembro. «Apesar da situação difícil causada pela ameaça do Covid-19, tem havido manifestações de confiança do sector através das reservas de espaço», garante a representante oficial da MFS em Portugal, Tania Mutert Barros. «Tudo indica que a Munich Fabric Start será a primeira plataforma internacional da indústria têxtil após a fase de restrições e a organização está a elaborar medidas específicas para salvaguardar a saúde de todos os profissionais presentes», afirma a diretora da MundiFeiras, que também representa a Ispo Munich em Portugal.

«Houve negociações na Alemanha entre o Governo e a associação das feiras profissionais no sentido de desassociar as feiras profissionais de outros eventos de grande dimensão como, por exemplo, feiras populares ou jogos de futebol, que estão proibidos na Alemanha até 31 de agosto», revela Tania Mutert Barros. Com efeito, o Governo alemão decretou, no passado dia 6 de maio, que as feiras deixavam de ser consideradas eventos de grande dimensão, pelo que estariam aptas a decorrer desde que respeitem as normas de saúde e segurança adequadas face à pandemia. «Isto é um passo importante no sentido de reiniciar o sector de feiras profissionais. Como as exibições são plataformas de inovação e cooperação, estimulam a recuperação da economia alemã a curto e médio prazo», acredita Jörn Holtmeier, diretor da associação alemã de feiras profissionais (AUMA, na sigla original).

A edição da feira de tecidos alemã agendada para setembro vai revelar as tendências para o outono-inverno 2021/2022 e ainda atuar como uma «plataforma de decisões, na qual as marcas de moda irão selecionar os tecidos» para as coleções da estação fria do próximo ano. Munique deverá, assim, abrir portas a mais de mil expositores internacionais e a cerca de 20.500 visitantes, com agentes e clientes alemães a ocuparem a maioria. Entre os mil expositores, mais de 35 são portugueses nas áreas de tecidos, acessórios têxteis e confeção. «Na sequência da atual pandemia gerada pelo Covid-19, a indústria têxtil revela estar a sofrer algumas transformações na sua cadeia de valor. Na esperança de assistirmos a uma mudança da localização da produção têxtil para a Europa, Portugal poderá ser um dos países mais beneficiados», sublinha a MundiFeiras em comunicado.

A Munich Fabric Start mantém ainda a aposta na área do private label e reserva uma parte do espaço da feira, batizada MFS Sourcing, aos produtores de vestuário. Na sequência do surto do novo coronavírus, o prazo para os expositores inscreverem-se na MF Sourcing foi alargado até 19 de junho.