Início Notícias Tecnologia

myPartner a caminho da internacionalização

A empresa tecnológica começou no sector têxtil, com a implementação de CRM e ERP nas empresas. Catorze anos depois já está em outras áreas e a trabalhar lá fora.

Joaquim Ferreira

O primeiro cliente da myPartner foi a Impetus, em 2005, poucos meses depois da criação da empresa. Joaquim Ferreira, um dos fundadores e ERP Sales Manager, contou ao Portugal Têxtil que a myPartner está a apostar em implementar a soluções ERP e CRM da Microsoft em vez de desenvolver software de raiz.

«Para nós foi claro no início que tínhamos de ter um fabricante de software e não sermos nós a desenvolver. Qualquer uma das pessoas que fundaram a empresa já tinha muitos anos de atividade e percebeu que as software houses portuguesas têm bons produtos de facto, mas a maioria delas quando precisa tem dificuldades em termos de investimento», revelou, durante o workshop “Fit for Fashion” que a myPartner promoveu no Palácio do Freixo ontem, dia 16.

José Miguel Azevedo

A myPartner está em crescimento não só em número de clientes, mas também em mercados. «Anualmente, adicionamos 6 a 9 clientes e isto são projetos com alguma dimensão e alguma complexidade e longevidade», adiantou Joaquim Ferreira, salientando que «temos uma componente internacional que, naqueles primeiros anos da crise, nos levou a potenciar ainda mais essa visão que tínhamos. Neste momento, 47% dos serviços que fazemos são fora do país». «Geograficamente Alemanha e França são os maiores mercados, mas também estamos na Holanda. Depois acompanhamos os nossos parceiros que vão para fora», acrescentou.

A myPartner faturou 4,5 milhões de euros em 2017 e, segundo o ERP Sales Manager, deverá crescer 5 a 10% no corrente ano

O workshop explicou à plateia como funcionam algumas soluções de software para empresas, nomeadamente o Dynamics NAV, que tem sido customizado para empresas do sector têxtil. José Miguel Azevedo, ERP Product Manager da myPartner, apresentou a ferramenta em detalhe e mostrou como toda a cadeia de funcionamento de uma empresa, desde a conceção até à logística, podia usar esta solução para aumentar a eficiência e diminuir os custos. «O módulo cobre todas as áreas, incluindo recursos humanos, contabilidade, etc.», afirmou o responsável. No final da sessão, José Miguel Azevedo mostrou também o Power BI, ferramenta que tem versão gratuita, para análises de grupo ou apenas uma empresa, assim como de produtos e clientes, entre outros elementos.

Pedro Almeida

Ainda durante o workshop, Pedro Almeida, da P2P, descreveu vários incentivos do Portugal 2020 a que as empresas podem aderir para levar a cabo os seus programas de modernização, formação e internacionalização. «A economia digital está em todo o lado e há uma alteração do paradigma em todo o lado, na área do ensino, agricultura, serviços, comércio eletrónico, smart cities. A Indústria 4.0 é uma inevitabilidade», garantiu. Entre os apoios apontados estão o SI Inovação para a indústria, o SIQ PME para PME nas áreas da formação e internacionalização e o Vale Indústria 4.0, para pequenos projetos industriais (máximo 10 mil euros).