Início Arquivo

Nanofiltros no combate à pneumonia atípica

A US Global Aerospace acaba de desenvolver uma nova linha de nanofiltros destinados aos sistemas de controlo ambiental das aeronaves e aos sistemas de aquecimento, ventilação e de ar condicionado dos hospitais e outros edifícios análogos. Estes nanofiltros foram desenhados de forma a capturar agentes tão diminutos como os vírus responsáveis pelo Síndroma Respiratório Agudo (SRA), vulgarmente designado por pneumonia atípica, assim como os esporos do Antrax. A essência da tecnologia dos nanofiltros foi inicialmente desenvolvida pela Y2 Ultra-Filter para aplicação nos voos espaciais de longa duração da Nasa, de forma a purificar o ar. A US Global Aerospace integrou membranas de nanofiltros porosos no sistema, o qual é depois envolvido por um campo electrónico. Este campo electrónico origina a deslocação das partículas transportadas pelo ar num movimento centrífugo perpendicular à direcção da circulação do ar sem ionização, intensificando significativamente a interacção das forças de Van der Waals. Isto resulta num sistema de filtração de ar extremamente eficiente, que está concebido para capturar bactérias, vírus, fumo, pó, odores e outras partículas microscópicas. «O novo nanofiltro foi projectado para filtrar eficientemente as partículas de dimensões superiores a 0,05 microns, de forma a conferir uma protecção efectiva contra as contaminações químicas e biológicas», revela John Robinson, presidente e director-geral da US Global Aerospace. «Os filtros HEPA comuns, utilizados actualmente na aviação, não proporcionam a filtração necessária para proteger o público do SRA, nem de muitos outros vírus transportados pelo ar. O nosso nanofiltro foi concebido de modo a filtrar eficaz e efectivamente os vírus transportados pelo ar, tal como o Vírus Sincicial Respiratório (VSR), uma causa comum da pneumonia e com um tamanho de 0,09 microns. Quanto ao vírus do SRA, pensa-se que pertence à família Coronavirus e que o seu tamanho varia ente 0,06 e 0,22 microns. Este nanofiltro permite ainda reduzir o consumo de energia em cerca de 35% e os custos de manutenção a metade dos custos relativos aos filtros HEPA». A US Global Aerospace detém os direitos exclusivos da tecnologia Ultra-Filtração para todas as aplicações aeronáuticas e fornecerá os novos nanofiltros para os aviões comerciais de longo curso, incluindo as séries Boeing 7X7, Airbus A3X0 e MD 11. Devido aos riscos do SRA e aos seus efeitos na indústria da aviação, a US Global Aerospace está a trabalhar de modo a oferecer estes nanofiltros numa base prioritária. A empresa americana também detém os direitos, embora não exclusivos, para aplicações comerciais na China e está ainda a procurar produzir, já para este verão, substitutos para os filtros HVAC destinados a hospitais ameaçados pelos casos de SRA. «No final de Julho mudaremos o nosso nome para US Global Nanospace, o que reflecte melhor como o nosso negócio central – produtos derivados da aplicação da nanotecnologia – tem crescido para além da indústria aeroespacial», declara John Robinson. «Somos uma das poucas empresas que tem desenvolvido e comercializado produtos anti-balísticos baseados na nanotecnologia para os mercados da defesa territorial, militar e comercial. O mercado está a começar a reconhecer os produtos que temos desenvolvido a partir da nanotecnologia, que incluem portas de segurança para o cockpit, torres blindadas, painéis de atenuação de detonações e armaduras pessoais de nível de ameaça elevado. Deste modo, esta nova designação abarca as nossas competências e o potencial da empresa no prosseguimento da expansão do nosso portfólio de produtos e tecnologias».