Início Arquivo

ndia aposta na ITV

A indústria têxtil e de vestuário indiana é caracterizada pela sua diversidade e heterogeneidade, cobrindo uma grande variedade de produtos desde as fibras de algodão e sintéticas, fios, tecidos, vestuário básico, têxteis lar, vestuário de moda, entre outros. Esta diversidade de produtos finais corresponde a uma enorme variedade de processos industriais, empresas e estruturas comerciais.A indústria têxtil e de vestuário na Índia está na sua posição mais forte desde as últimas seis décadas, apresentado um crescimento anual de 9 a 10 por cento, o que gera um certo optimismo generalizado. Na base desta evolução encontram-se a florescente economia indiana, o aumento na produção de algodão, as políticas governamentais e a eliminação das quotas alfandegárias entre os membros da Organização Mundial de Comércio desde o início de 2005.A economia indiana tem registado uma taxa de crescimento de 8 por cento, resultando num aumento da capacidade de compra da população. A proporção da principal classe consumidora (população com um rendimento anual superior a 2.000 USD) aumentou dos 20 por cento em 1995/1996, para os 28 por cento em 2001/2002. Esta proporção deverá aumentar para os 35 por cento em 2005/2006 e para os 48 por cento em 2009/2010, com efeitos no consumo interno de têxteis e de vestuário.O papel do governo indiano tem-se evidenciado ao nível da implementação de políticas e sistemas de incentivos que têm facilitado o crescimento da indústria. Entre estas iniciativas, destacam-se: a "missão tecnológica para o algodão", que resultou no aumento da produção de algodão e reduziu os níveis de contaminação; o "sistema de fundos para o desenvolvimento da tecnologia", que veio facilitar a instalação de tecnologia mais moderna a custos de capital mais competitivos; e a racionalização da carga fiscal, que veio nivelar as regras para todos os segmentos, beneficiando o crescimento da indústria como um todo. Para além destas iniciativas, a autorização governamental para permitir a importação de diversos recursos têxteis e de vestuário ao nível de costuras, acessórios, consumíveis, tecidos, forros, entre outros, tornou a exportação de vestuário indiano mais competitiva.Para além destas medidas, o investimento do governo na melhoria de infra-estruturas como estradas, portos, centrais de energia, fornecimento de água, serviços de telecomunicações, veio beneficiar o tecido industrial indiano. Do lado do retalho, o governo indiano autorizou recentemente o estabelecimento de lojas de marca única por parte de retalhistas internacionais. O desempenho das exportações indianas com destino ao mercado dos Estados Unidos e da União Europeia tem registado uma evolução significativa. Ao longo de 2005 e 2006, as exportações indianas de vestuário com destino ao mercado norte-americano cresceram 34,2 por cento e 7,08 por cento respectivamente, enquanto que nos têxteis o crescimento em 2006 foi de 12,42 por cento. Em relação ao mercado comunitário, o crescimento registado em 2005 foi de 30,6 por cento no vestuário e 2,2 por cento nos têxteis, enquanto que em 2006 foi de 17,5 por cento no vestuário e 3,5 por cento nos têxteis. Os objectivos de crescimento da indústria têxtil e de vestuário indiana estão numa taxa de 16 por cento ao ano em valor, o qual deverá chegar ao 115 mil milhões de USD (55 mil milhões USD das exportações e 60 mil milhões de USD do mercado interno) em 2012.