Início Notícias Moda

Neonyt solidária com moda ecológica

A feira mais verde da Messe Frankfurt está a promover a iniciativa #fairfashionsolidarity para impulsionar a moda sustentável durante o período de crise provocado pelo Covid-19.

Para ajudar as empresas a evitar recessões nas receitas e a assegurar que os negócios podem continuar com sucesso e de forma justa quando a normalidade retomar, a organizadora alemã de feiras está a apoiar a iniciativa #fairfashionsolidarity. O projeto, criado por dois dos expositores de marcas sustentáveis da Messe Frankfurt e dois retalhistas com a mesma linha de pensamento, destaca as ações que o sector, incluindo os consumidores, podem tomar para manter a dinâmica ecológica da indústria e preservar a existência de lojas e marcas amigas do ambiente.

«O vírus e as suas consequências vão ter um impacto prolongado na nossa sociedade e economia. Claramente está a atingir intensamente as pequenas e médias empresas, com menos reservas financeiras, e esperamos que nenhum dos nossos expositores fique para trás nestes tempos desafiadores», afirma Olaf Schmidt, vice-presidente para a área têxtil da Messe Frankfurt.

Em janeiro de 2020, em Berlim, a Neonyt apresentou mais de 210 marcas de moda sustentáveis provenientes de 22 países, o maior número de marcas amigas do ambiente que a feira internacional de moda, sustentabilidade e inovação já reuniu. Para a edição de verão de 2020, agendada de 30 de junho para 2 de julho, a Messe Frankfurt tinha programado aumentar o espaço de exposição, com um terminal suplementar do Berlin Tempelhof Airport.

Interagir de outras formas

«Devido à difícil situação global, face ao Covid-19, e à atual decisão do Governo alemão ter proibidos todos eventos de grande dimensão até ao final de agosto de 2020, de momento, não temos outra opção se não cancelar e edição de verão deste ano da Neonyt no seu formato atual. No entanto, ainda estamos a estudar a possibilidade de agendar o evento para o final do verão. Além disso, estamos já a adotar muitos outros métodos para adaptar o conceito da feira a esta situação específica, incluindo as considerações iniciais de um evento virtual com vários formatos», explica a organização.

«Vamos continuar a colaborar com outros mercados participantes e com as autoridades responsáveis em Berlim», revela Olaf Schmidt. «O nosso objetivo é oferecer, aos players da indústria, um ambiente seguro e otimista voltado para o futuro como um incentivo para fazer negócios quando tudo isto acalmar. Entretanto, estamos a desenvolver esforços para criar uma plataforma de negócio na segunda metade do ano, em qualquer formato e data, e vamos manter toda a gente informada sobre os planos futuros atempadamente», acrescenta.

Até ter tudo preparado, a feira vai interagir com o público durante o período de distanciamento social através de entrevistas, vídeos e podcasts com membros da comunidade moda sustentável.

Momentos de reflexão

A rápida propagação do novo coronavírus trouxe a maior disrupção das últimas décadas para a vida pública. Contudo, e apesar de todos os aspetos negativos que advieram, a pandemia pode também ser vista como uma oportunidade para considerar valores importantes. «No nosso caso específico, estamos a promover a solidariedade entre os fabricantes e os consumidores, assim como a proteção do ambiente e a sustentabilidade. Não há dúvidas sobre o enorme potencial da comunidade de sustentabilidade, vamos esperar que ela saia desta tempestade atual mais forte do que nunca», assegura a organização.

Para mais de metade dos gestores de compras da indústria de moda global, a sustentabilidade é um dos aspetos mais importantes a ter em conta nas estratégias de negócio futuras. De acordo com o Sourcing Journal, atualmente, os consumidores de moda têm uma variedade de escolhas sustentáveis significativamente mais ampla, fruto de uma oferta cinco vez maior deste tipo de produtos, o que indica que a sustentabilidade chegou realmente ao sector de retalho tradicional. E, ao contrário do que se possa pensar, o desenvolvimento sustentável não vai ser interrompido pela atual crise económica e de saúde global provocada pelo Covid-19. Assim sendo, por todo o mundo, as pessoas estão a passar por momentos de reflexão e consciência ao longo deste período de incerteza, o que pode promover ainda mais o consumo de moda responsável, refere o jornal.