Início Destaques

Next soma e segue

As vendas da Next, a segunda maior retalhista do Reino Unido, cumpriram as previsões antecipadas para o terceiro trimestre, o que resultou no aumento das estimativas anuais de vendas e lucros da marca de moda, apesar da volatilidade da procura por parte do consumidor.

A Next, que opera mais de 500 lojas na Grã-Bretanha e Irlanda, cerca de 200 lojas franqueadas no exterior, a par do seu catálogo de Diretório e negócios de internet, anunciou, na quarta-feira passada, um crescimento de 6% das vendas a preços totais no terceiro trimestre, que terminou a 24 de outubro. Este resultado supera o ponto médio das previsões para o segundo semestre, de 3,5% para 7,5%, e contrasta com o crescimento de 3,5% alcançado no primeiro semestre.

As vendas a preços totais nas lojas Next aumentaram 5,9%. No negócio de Diretório, o crescimento atingiu 6,2%. As transações, por sua vez, foram muito positivas em setembro e moderadas em outubro.

A Next superou os seus pares, incluindo a líder de mercado Marks & Spencer, devido à robustez do segmento online, rápida expansão em território doméstico e internacional e diversificação para novos segmentos de produtos, como a decoração e utensílios para a casa.

As ações na empresa caíram 1%, fixando-se em 78,63 libras na quarta-feira última, o que faz avaliar o negócio em 12 mil milhões de libras. «Com o preço das ações a aumentar 20% ao longo do último ano, em comparação com um Índice FTSE-100 estagnado, a valorização é encarada como indiscutivelmente crescente, aproximando-se do meio termo», afirmou Keith Bowman, analista de ações da Hargreaves Lansdown Stockbrokers.

A Next prevê um lucro antes de impostos compreendido entre 810 milhões e 845 milhões de libras para o período de 2015/2016. Anteriormente, esperava que fosse entre 805 milhões e 845 milhões de libras. O crescimento anual das vendas foi estimado de 4% a 6%, enquanto anteriormente estava fixado em 3,5% a 6%.

A empresa tem uma política bem estabelecida de devolução de excedentes de caixa aos acionistas por meio da reaquisição de ações ou dividendos especiais. Tal como anunciado na sua atualização de resultados em julho, irá pagar um dividendo especial de 60 pences por ação a 2 de novembro.