Início Arquivo

Nike rende mais

A Nike registou um aumento de 22% no lucro do quarto trimestre, impulsionado por vendas mais altas e melhores margens. O lucro atingiu os 668 milhões de dólares (512,4 milhões de euros) nos três meses até 31 de maio, em comparação com os 549 milhões de dólares no mesmo período do ano passado. A empresa sediada em Beaverton, Oregon, indicou que o volume de vendas aumentou 7,4%, para 6,7 mil milhões de dólares, em comparação com os 6,24 mil milhões de dólares no ano anterior, com ganhos em todos os tipos de produtos e todas as geografias, à exceção da Europa Ocidental e a Grande China. As encomendas de calçado e vestuário da Nike programadas para entrega entre junho e novembro de 2013 – o que chama de “encomendas futuras” – subiram 8% em termos mundiais. Estas encomendas aumentaram 12% na América do Norte, de longe o maior mercado da marca, acalmando as preocupações que Wall Street tinha de que não fosse capaz de manter o ritmo de crescimento dos trimestres anteriores. «Tem havido muitas preocupações de que a América do Norte abrande, mas isso não aconteceu. A América do Norte continua a mostrar um crescimento inacreditável», afirmou o analista da Edward Jones, Brian Yarbrough. Mas na China, eliminando os efeitos cambiais, as encomendas estão estagnadas, um desapontamento após o aumento no último trimestre, quando os investidores pensavam que o negócio da Nike estava finalmente a melhorar. A China representa cerca de 11% das vendas da marca e 22% do seu lucro. Na China, a Nike debateu-se com excesso de inventário e uma concorrência intensa causada pela diminuição dos preços nos rivais, que afetou o seu negócio, e a empresa está a tentar melhorar a sua performance no país. «A mudança exige disciplina e paciência. A corrida na China é uma maratona, não é um sprint», explicou o presidente e CEO Mark Parker. As margens brutas, por seu lado, aumentaram 110 pontos base, para 43,9%, impulsionadas por ações sobre o preço, diminuição dos custos com os materiais e comparações favoráveis com o ano passado. No total do ano, o lucro aumentou 12%, para 2,49 mil milhões de dólares, em comparação com os 2,22 mil milhões de dólares do ano anterior, enquanto o volume de negócios subiu 8%, para 25,3 mil milhões de dólares, em comparação com os 23,33 mil milhões de dólares do ano passado. «O ano fiscal de 2013 foi um ano fantástico para a Nike, impulsionado pelos nossos produtos inovadores e pelo poder das nossas marcas», indicou Mark Parker. «E estamos entusiasmados com o que aí vem. Temos a melhor equipa de liderança na indústria e grandes lançamentos inovadores a caminho. Ambos estão alinhados com as nossas maiores oportunidades para impulsionar o crescimento, gerir o risco e impulsionar o valor para os acionistas a longo prazo», acrescentou o CEO.