Início Notícias Marcas

Nike veste culturas

Atenta às necessidades do mercado, a Nike Inc. está pronta para tornar os desportos do meio aquático acessíveis a todas as culturas. O novo fato de banho “modesto” proporciona o máximo conforto e mobilidade a todas as mulheres que, por motivos religiosos ou não, exigem a cobertura total do corpo para nadar.

Em 2017, a gigante do vestuário desportivo estreou o Pro Hijab no mercado mundial. A cobertura para a cabeça que absorve a humidade tornou o desporto mais confortável e acessível para as atletas muçulmanas, um grupo desde sempre ignorado pela maioria das marcas de vestuário nesta área. Depois de vencer o prémio da Fast Company de melhor design, no mesmo ano, o Pro Hijab atingiu um crescimento de vendas de 125% no primeiro trimestre de 2019, segundo o jornal Morocco World News.

Agora, a Nike voltou a investir no mesmo segmento, desta vez com uma cobertura de corpo inteiro, a que chamou «fato de banho modesto», composto por três partes separadas: um hijab, uma túnica e calças. «Adoramos realmente criar produtos para atletas, [especialmente] quando encontramos uma parte insatisfeita do mercado, ou quando as pessoas não podem participar numa área que desejam integrar», confessa Martha Moore, vice-presidente de criatividade da Nike.

A equipa de design da empresa viajou até ao sudeste Asiático e observou que, contrariamente à realidade ocidental, as mulheres da região eram obrigadas a nadar em piscinas exclusivas ao sexo feminino, já que tinham poucas opções de vestuário de banho que oferecesse cobertura total ao corpo – e quando assim o faziam, acrescia o problema da mobilidade na água. «Quando encontramos pessoas a nadar na Austrália em peças modestas de corpo inteiro descobrimos, a partir dos nadadores-salvadores, que eram aquelas que representavam uma maior preocupação, por causa do peso e da quantidade de camadas que caracterizavam o seu vestuário», revela Martha Moore. Na altura, as únicas opções disponíveis no mercado eram «pesadas, elásticas, colantes e pouco atrativas, sob a nossa perspetiva», aponta.

Quando a Nike começou a desenvolver o novo fato de banho, a prioridade foi criar um produto esteticamente aprazível, leve e de secagem rápida. Após uma análise de mercado, a empresa identificou uma outra característica essencial: um fit relativamente folgado. «Tínhamos uma noção preconcebida de que podíamos criar o mais fantástico [fato] justo e produzir uma versão para a natação. Esta solução não respondia ou resolvia os problemas do consumidor ou dos atletas a quem nos dirigíamos», explica a vice-presidente de criatividade da Nike.

Assim, surge o fato de banho “modesto”, disponível do tamanho XXS ao XXL, que faz parte da coleção Nike Victory Swim Collection. Apesar do público-alvo ser as mulheres muçulmanas, a equipa de design encarou a oportunidade como uma forma de alargar a oferta a outros consumidores, nomeadamente mulheres que procurem proteger-se do sol na praia ou queiram esconder cicatrizes e outros defeitos físicos. «Julgo que a nossa abordagem é considerar esta peça como um fato de banho para todas as mulheres que têm prazer em nadar todos os dias», reconhece Martha Moore.

Mamíferos inspiram fato de banho

Em colaboração com a comunidade muçulmana de Portland, a Nike baseou-se no anterior lançamento do Pro Hijab para criar uma mesma peça otimizada – ao novo hijab acrescentou um bolso interno para segurar o cabelo de forma funcional. «Tivemos tanto sucesso nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro com o Pro Hijab, que obviamente mantivemos esta referência como base», afirma Moore. «Sabíamos que podíamos estender essa oferta a mulheres que queriam ou escolhiam essa parte do vestuário cultural», o que «nos inspirou a procurar nichos de mercado ainda por explorar», acrescenta.

O novo fato de banho é composto por 70% poliamida e 30% elastano, usando uma malha estruturada, mas fluída, com propriedades hidrofóbicas, que providencia mobilidade e conforto. Inspirado nos mamíferos aquáticos, apresenta ainda um sistema de circulação da água e ventilação, que evita a criação de bolhas de ar. «Parece que nos estamos a mover pela água e não a ser retardados pela mesma», destaca a vice-presidente de criatividade. A Nike incorporou igualmente alguns detalhes no interior das mangas e das calças da túnica, que fixam o vestuário ao longo do movimento através da água.

A versão premium do Victory Suit deverá situar-se entre os 600 e os 650 dólares (de 536 a 581 euros) e estará disponível num tom preto e iridescente, incluindo uma túnica, um sutiã e um hijab incorporados, assim como as calças enquanto peça completa. Além disso, também será lançada uma segunda versão mais democrática, que apresentará os três elementos do fato de banho em peças individuais, com um custo total de cerca de 170 dólares. Deste modo, as usuárias poderão misturar e combinar tamanhos e cores, de acordo com as suas preferências.

O lançamento está previsto para 2 de fevereiro de 2020. «O Victory Suit está efetivamente a forçar os limites do design e da inovação para solucionar um problema para as mulheres no mercado, para que todas possam ter acesso aos desportos aquáticos», sublinha Martha Moore.